Seguidores

dezembro 26, 2012

“Não deixe portas entreabertas. Escancare-as ou bata-as de vez.
Pelos vãos, brechas e fendas passam apenas semiventos, meias verdades e muita insensatez.”
Clarice Lispector

dezembro 06, 2012

Natal, tempo de luz!







Natal, tempo de luz!

Deixe que a luz dourada que brilha neste dezembro chegue ao seu coração,
 Ilumine seus caminhos, sua vida, sua alma.
Permita que a paz se faça presente, transmita aos demais.
Eleve seus pensamentos aos céus e busque o que vem do alto.
Aspire sempre bons desejos para alcançar seus mais belos e nobres sonhos.
Que esse Natal seja o início de sua caminhada rumo a felicidade suprema,
 Oferte-se como “Presente” ao dono da festa, o menino Jesus:
“Seja luz!”.

Feliz Natal 2012. 
Lu Barros

novembro 23, 2012

 
‘de alguma forma, todos os dias alguém bate à nossa porta e nos convida a desistir – não atenda!!’
Caio F.Abreu

outubro 19, 2012


E se sonharem, não tenham medo de caminhar!
E se caminharem, não tenham medo de tropeçar!
E se tropeçarem, não tenham medo de chorar.
Levantem-se, pois não há caminhos sem acidentes.
Deem sempre uma nova chance para si mesmos.
Pois a liberdade só é real se, após falharmos,
Existir o direito de recomeçar...
(Augusto Curry)

setembro 28, 2012

Que Seja Doce

“Então, que seja doce.
 Repito todas as manhãs, 
ao abrir as janelas para deixar entrar o sol ou o cinza dos dias,
 bem assim: que seja doce. 
Quando há sol, 
e esse sol bate na minha cara amassada do sono ou da insônia, 
 contemplando as partículas de poeira soltas no ar,
 feito um pequeno universo,
 repito sete vezes para dar sorte: que seja doce que seja doce que seja doce e assim por diante.
 Mas, se alguém me perguntasse o que deverá ser doce, talvez não saiba responder.
 Tudo é tão vago como se fosse nada.”
Caio F.

setembro 26, 2012


Agora mesmo, onde você estiver, olhe para os lados. 
Ajuste a consciência, apure a sensibilidade, abra seu coração,
 respire fundo, olhe para os lados outra vez, e responda-me, sinceramente: 
— As pessoas com as quais você hoje convive (em casa, na escola ou no trabalho) são amorosas, compreensivas, 
inteligentes, excitantes, 
audaciosas, livres, 
saudáveis,  brilhantes, honestas,
 sensíveis, delicadas, 
independentes, e cheias de entusiasmo pela vida?
— São?!
Porque, se assim não forem, responda-me:

— O que é que você continua fazendo aí?

(EdsonMarques) 

Os valores que eu prezo,
 não podem ser vistos num corte de cabelo, 
não podem ser tocados nas texturas das roupas de marca,
 e não podem ser sentidos nos aromas de recipientes de vidro.
 Eles vão além do que os olhos podem ver, 
além do que suas mãos podem tocar, 
além do que suas narinas podem sentir.
 Os valores que eu prezo, somente são enxergados com o coração,
 tocados com a alma 
e sentidos com o espírito.

(desconheço o autor)

setembro 19, 2012


Eu estava doente.
Eu mudei o sentimento, a atitude, o medico, o trabalho, a roupa, o perfume, a cidade, a paisagem e o clima.
Eu joguei no lixo velhos papeis, as coisas quebradas e as que não servem pra nada.
Eu aumentei minha Fé e o numero de meus amigos.
Eu estou melhorando...
(do blog de Ita Andrade)
Quando a gente planta amor
e planta bem direito
pode ser que vá colher
amor perfeito
(do blog de ita Andrade)


"Para os erros há perdão; 
para os fracassos, chance;
 para os amores
impossíveis, tempo.
 De nada adianta cercar um coração vazio ou
economizar alma.
 O romance cujo fim é instantâneo ou indolor não é
romance.
 Não deixe que a saudade sufoque, que a rotina acomode, que
o medo impeça de tentar. 
Desconfie do destino e acredite em você.
Gaste mais horas realizando que sonhando,
 fazendo que planejando,
vivendo que esperando, porque embora quem quase morre esteja vivo,
quem quase vive já morreu."


Luis Fernando Veríssimo

CATIVAR


E foi então que apareceu a raposa:
- Boa dia, disse a raposa.
- Bom dia, respondeu polidamente o principezinho, que se voltou, mas não viu nada.
- Eu estou aqui, disse a voz, debaixo da macieira...
- Quem és tu? perguntou o principezinho. Tu és bem bonita...
- Sou uma raposa, disse a raposa.
- Vem brincar comigo, propôs o principezinho. Estou tão triste...
- Eu não posso brincar contigo, disse a raposa. não me cativaram ainda.
- Ah! desculpa, disse o principezinho.
Após uma reflexão, acrescentou:
- Que quer dizer "cativar"?
- Tu não és daqui, disse a raposa. Que procuras?
- Procuro os homens, disse o principezinho. Que quer dizer "cativar"?
- Os homens, disse a raposa, têm fuzis e caçam. É bem incômodo! Criam galinhas também. É a única coisa interessante que fazem. Tu procuras galinhas?
- Não, disse o principezinho. Eu procuro amigos. Que quer dizer "cativar"?
- É uma coisa muito esquecida, disse a raposa. Significa "criar laços..."
- Criar laços?
- Exatamente, disse a raposa. Tu não és para mim senão um garoto inteiramente igual a cem mil outros garotos. E eu não tenho necessidade de ti. E tu não tens também necessidade de mim. Não passo a teus olhos de uma raposa igual a cem mil outras raposas. Mas, se tu me cativas, nós teremos necessidade um do outro. Serás para mim único no mundo. E eu serei para ti única no mundo...
- Começo a compreender, disse o principezinho. Existe uma flor... eu creio que ela me cativou...
- É possível, disse a raposa. Vê-se tanta coisa na Terra...
- Oh! não foi na Terra, disse o principezinho.
A raposa pareceu intrigada:
- Num outro planeta?
- Sim.
- Há caçadores nesse planeta?
- Não.
- Que bom! E galinhas?
- Também não.
- Nada é perfeito, suspirou a raposa.
Mas a raposa voltou à sua idéia.
- Minha vida é monótona. Eu caço as galinhas e os homens me caçam. Todas as galinhas se parecem e todos os homens se parecem também. E por isso eu me aborreço um pouco. Mas se tu me cativas, minha vida será como que cheia de sol. Conhecerei um barulho de passos que será diferente dos outros. Os outros passos me fazem entrar debaixo da terra.
O teu me chamará para fora da toca, como se fosse música. E depois, olha! Vês, lá longe, os campos de trigo? Eu não como pão. O trigo para mim é inútil. Os campos de trigo não me lembram coisa alguma. E isso é triste! Mas tu tens cabelos cor de ouro. Então será maravilhoso quando me tiveres cativado. O trigo, que é dourado, fará lembrar-me de ti. E eu amarei o barulho do vento no trigo...
A raposa calou-se e considerou por muito tempo o príncipe:
- Por favor... cativa-me! disse ela.
- Bem quisera, disse o principezinho, mas eu não tenho muito tempo. Tenho amigos a descobrir e muitas coisas a conhecer.
- A gente só conhece bem as coisas que cativou, disse a raposa. Os homens não têm mais tempo de conhecer alguma coisa. Compram tudo prontinho nas lojas. Mas como não existem lojas de amigos, os homens não têm mais amigos. Se tu queres um amigo, cativa-me!
- Que é preciso fazer? perguntou o principezinho.
- É preciso ser paciente, respondeu a raposa. Tu te sentarás primeiro um pouco longe de mim, assim, na relva. Eu te olharei com o canto do olho e tu não dirás nada. A linguagem é uma fonte de mal-entendidos. Mas, cada dia, te sentarás mais perto...
No dia seguinte o principezinho voltou.
- Teria sido melhor voltares à mesma hora, disse a raposa. Se tu vens, por exemplo, às quatro da tarde, desde as três eu começarei a ser feliz. Quanto mais a hora for chegando, mais eu me sentirei feliz. Às quatro horas, então, estarei inquieta e agitada: descobrirei o preço da felicidade! Mas se tu vens a qualquer momento, nunca saberei a hora de preparar o coração... É preciso ritos.
- Que é um rito? perguntou o principezinho.
- É uma coisa muito esquecida também, disse a raposa. É o que faz com que um dia seja diferente dos outros dias; uma hora, das outras horas. Os meus caçadores, por exemplo, possuem um rito. Dançam na quinta-feira com as moças da aldeia. A quinta-feira então é o dia maravilhoso! Vou passear até a vinha. Se os caçadores dançassem qualquer dia, os dias seriam todos iguais, e eu não teria férias!
Assim o principezinho cativou a raposa. Mas, quando chegou a hora da partida, a raposa disse:
- Ah! Eu vou chorar.
- A culpa é tua, disse o principezinho, eu não queria te fazer mal; mas tu quiseste que eu te cativasse...
- Quis, disse a raposa.
- Mas tu vais chorar! disse o principezinho.
- Vou, disse a raposa.
- Então, não sais lucrando nada!
- Eu lucro, disse a raposa, por causa da cor do trigo.
Depois ela acrescentou:
- Vai rever as rosas. Tu compreenderás que a tua é a única no mundo. Tu voltarás para me dizer adeus, e eu te farei presente de um segredo.
Foi o principezinho rever as rosas:
- Vós não sois absolutamente iguais à minha rosa, vós não sois nada ainda. Ninguém ainda vos cativou, nem cativastes a ninguém. Sois como era a minha raposa. Era uma raposa igual a cem mil outras. Mas eu fiz dela um amigo. Ela á agora única no mundo.
E as rosas estavam desapontadas.
- Sois belas, mas vazias, disse ele ainda. Não se pode morrer por vós. Minha rosa, sem dúvida um transeunte qualquer pensaria que se parece convosco. Ela sozinha é, porém, mais importante que vós todas, pois foi a ela que eu reguei. Foi a ela que pus sob a redoma. Foi a ela que abriguei com o pára-vento. Foi dela que eu matei as larvas (exceto duas ou três por causa das borboletas). Foi a ela que eu escutei queixar-se ou gabar-se, ou mesmo calar-se algumas vezes. É a minha rosa.
E voltou, então, à raposa:
- Adeus, disse ele...
- Adeus, disse a raposa. Eis o meu segredo. É muito simples: só se vê bem com o coração. O essencial é invisível para os olhos.
- O essencial é invisível para os olhos, repetiu o principezinho, a fim de se lembrar.
- Foi o tempo que perdeste com tua rosa que fez tua rosa tão importante.
- Foi o tempo que eu perdi com a minha rosa... repetiu o principezinho, a fim de se lembrar.
- Os homens esqueceram essa verdade, disse a raposa. Mas tu não a deves esquecer. Tu te tornas eternamente responsável por aquilo que cativas. Tu és responsável pela rosa...
- Eu sou responsável pela minha rosa... repetiu o principezinho, a fim de se lembrar.

alimentando a alma



"Se eu tiver que despertar para algo,
 prefiro que seja pelo canto de um pássaro do que por uma sirene.
 A sirene me faz pensar no lugar onde estou... 
O pássaro me fará lembrar pra onde quero ir..."



"Em vez de terapia de vidas passadas, 

prefiro a terapia das vidas que nunca aconteceram.
 A alma é literatura. 
Está cheia de estórias que nunca aconteceram. 
É dessas estórias que a alma se alimenta. "
Nem só de pão viverá o homem, mas de toda a palavra..."


"Angelus Silesius, místico, 

disse que o olho através do qual Deus me vê
 é o mesmo olho através do qual eu o vejo.
 Quem tem olho mau vê um Deus mau.
 Quem é vingativo vê um Deus vingativo. 
Mas quem tem olho bom vê um Deus que é só beleza e bondade."
 Rubem Alves.

SE EU FOSSE UM PADRE

Se eu fosse um padre, eu, nos meus sermões,
não falaria em Deus nem no Pecado
- muito menos no Anjo Rebelado
e os encantos das suas seduções,
não citaria santos e profetas:
nada das suas celestiais promessas
ou das suas terríveis maldições...
Se eu fosse um padre eu citaria os poetas,
Rezaria seus versos, os mais belos,
desses que desde a infância me embalaram
e quem me dera que alguns fossem meus!
Porque a poesia purifica a alma
... a um belo poema - ainda que de Deus se aparte -
um belo poema sempre leva a Deus!

Mario Quintana

Para sempre

Por que Deus permite que as mães vão-se embora?
Mãe não tem limite, é tempo sem hora,
luz que não apaga quando sopra o vento
e chuva desaba, veludo escondido
na pele enrugada, água pura, ar puro,
puro pensamento. 
Morrer acontece com o que é breve e passa sem deixar vestígio.
Mãe, na sua graça, é eternidade.
Por que Deus se lembra - mistério profundo -
de tirá-la um dia?
Fosse eu Rei do Mundo, baixava uma lei:
Mãe não morre nunca, mãe ficará sempre
junto de seu filho e ele, velho embora,
será pequenino feito grão de milho.
 
Carlos Drummond de Andrade

Amor, com maiúscula


Eu decorei suas fraquezas, acalmei seus pesadelos.
Conheço histórias de sua infância, dores e repulsas.

Sou sua caixa-preta, sua cópia de segurança, seu diário, seu esconderijo na parede.

Poderia imitar sua caligrafia, poderia escrever sua biografia, listar o material escolar da 5ª série, recordá-la da capa de bichinhos coloridos da cartilha Alegria de Saber.

Você não escondeu nenhuma resposta de minhas perguntas. Nenhuma gaveta para a minha curiosidade.

Nunca se revelou tanto para outra pessoa. Expôs quem odiava no Ensino Médio, quem amava, quais as gafes e as covardias que experimentou na escola.

Confidenciou aquilo que seu pai gritou e que magoou fundo, aquilo que sua mãe omitiu e feriu fundo.

Não tem anticorpos contra mim. Baixou as armas, depôs a mínima resistência.

Se você me escolheu para confiar, devo ter o dobro de tato para falar contigo, o triplo de responsabilidade. Qualquer um conta com o direito de falhar, qualquer um desfruta da possibilidade de errar, menos eu. Sou o que realmente estudou seus pontos fracos e o lugar de suas veias.

Perdi a desculpa do acidente, a vantagem do lapso.

Sou o mais perigoso, portanto tenho a obrigação de defendê-la de mim. Tudo o que ouvi a seu respeito não posso empregar para agredi-la. Cada desabafo que me confiou não serve para nada, a não ser para amá-la.

Não tem finalidade doméstica, nem serventia para fofoca, é uma amnésia alegre: escuto, sorrio e consolo.

Não ouso soprar verdades sem sua permissão. São arquivos protegidos.

Quem ama mergulha em hipnose regressiva, firmamos um código de quietude e cumplicidade, de zelo e compromisso.

Intimidade é um conteúdo perigoso, tóxico, explosivo. Há os casais que esquecem que estão levando a valiosa carga e transformam a catarse em tortura psicológica, em chantagem emocional, em sequestro moral.

Suas confidências morrem comigo ou eu vou morrer nelas. Não podem retornar numa briga. Que eu morda a língua, queime a boca, mas não use jamais seus segredos. Aquilo que você me disse não é para ser devolvido. Todo segredo é um sino sem pêndulo.

Não importa o que faça ou as razões da raiva, é covardia distorcer suas lembranças.

Não posso rifar seus problemas, nem propor leilão dos seus medos.

Minha namorada, minha noiva, minha mulher, meu amor.

Eu prometo cercar seu silêncio com meu silêncio.

Não nasci para julgá-la, mas para me julgar e, assim, merecê-la.

Fabrício Carpinejar


Bem - aventurados os que aspiram tornar-se Filhos da Luz..

''Eu não tenho muitas respostas.
 O que eu tenho é fé. 
E uma vontade bonita, toda minha, de crescer". 
Ana Jácomo

agosto 29, 2012

"Abra todas as janelas que encontrar e as portas também.
Persiga um sonho, mas não deixe ele viver sozinho.
Alimente sua alma com amor, cure suas feridas com carinho.
Descubra-se todos os dias, deixe-se levar pelas vontades, mas não enlouqueça por elas.
Procure, sempre procure o fim de uma história, seja ela qual for.
Dê um sorriso para quem esqueceu como se faz isso.
Acelere seus pensamentos, mas não permita que eles te consumam.
Olhe para o lado, alguém precisa de você.
Abasteça seu coração de fé, não a perca nunca.
Mergulhe de cabeça nos seus desejos e satisfaça-os."

agosto 28, 2012

"PROMETO A MIM MESMO...


Prometo a mim mesmo ser tão forte que nada poderá atrapalhar minha paz de espírito.

Falar de saúde, felicidade e prosperidade para cada pessoa que encontrar.

Fazer com que todos os meus amigos sintam que há algo valioso em cada um deles.

Olhar o lado positivo de tudo e fazer meu otimismo se tornar real.
Pensar somente o melhor, trabalhar apenas para o melhor e esperar apenas o melhor.
Esquecer os erros do passado e insistir para conseguir grandes realizações no futuro.
Usar uma expressão de alegria todo o tempo e dar um sorriso a cada criatura viva que eu encontrar.
Aproveitar ao máximo o uso do meu tempo para que eu não tenha tempo para criticar os outros.
Ser grande demais para preocupar, nobre demais para ter raiva, forte demais para ter medo, e feliz demais para permitir a presença de problemas.
Viver na crença de que o mundo inteiro está do meu lado.
Ser fiel ao que de melhor existe em mim."

junho 28, 2012

M de Mulher


São tantas as faces, são tantas as fases.
 Somos lunares. 
 São tantos os fluidos, os fluxos, as águas.
 Somos marés
São tantos os nomes, as palavras, as falas. 
Somos verbo.
São tantos os mistérios, os silêncios, os abismos. 
Somos travessia.
São tantos os portos, as casas, os colos.
 Somos chegada. 
 São tantos os sonhos, os devaneios, as fantasias. 
Somos princesas.
 São tantos os abismos, as grutas, os labirintos. 
Somos segredo.
 São tantos os risos, os arroubos, os cânticos. 
Somos alegria.
 São tantas as cores, os brilhos, os calores. 
Somos solares.
 São tantos os desvarios, as insensatezes, as pirações. 
Somos loucura.
São tantas as bênçãos, as graças, as orações. 
Somos benditas.
São tantas as sementes, os frutos, os rebentos.
 Somos fecundas.
 São tantas as mudanças, as tensões, as alternâncias. 
Somos voláteis.
 São tantos os feitiços, as poções, as verrugas. 
Somos bruxas.
São tantos os condões, os encantos, as magias.
 Somos fadas.
São tantos os batimentos, os suspiros, as contrações.
 Somos ritmo.
São tantos os espelhos, os cremes, as ginásticas.
 Somos vaidade.
São tantos os desejos, os arquejos, os beijos. 
Somos fogo.
 São tantas as perguntas, os medos, os anseios. 
Somos inquietação.
 São tantas as vinganças, as artimanhas, as picuinhas. 
Somos terríveis.
 São tantas as viradas, as voltas por cima, os recomeços. 
Somos fênices.
São tantas as intuições, as premonições, os sextos sentidos. 
Somos do além. 
São tantos os batons, as lingeries, os decotes. 
Somos fatais.
 São tantas as celulites, as rugas, as cicatrizes. 
Somos reais.
São tantas as batalhas, as conquistas, as bandeiras. 
Somos luta. 
São tantas as brisas, as águas frescas, as relvas macias.
Somos trégua.
 São tantas as histórias, as lembranças, os baús. 
Somos memória.
 São tantas as maçãs, as serpentes, os paraísos. 
Somos Eva.
 Somos o sal da Terra, a luz do mundo,
somos coração. 
Somos parceiras na Criação, tecemos Eternidade perpetuando a espécie. 
Somos fortes, fomos eleitas. 
Mais que segurança queremos liberdade. 
Mais que amor queremos paz. 
Mais que final feliz queremos cumprir nossos destinos, 
realizar nossas vocações, escrever nossas histórias.
Somos Mais, 
somos Múltiplas,
 somos Mães,
 somos Musas,
somos Marias,
somos Maravilhosas! 
 Mulheres com M maiúsculo, 
M de Mulher.
Por Hilda Lucas

junho 20, 2012


"Ontem eu era esperto.
 É por isso que queria mudar o mundo.
 Hoje sou sábio. 
 É por isso que estou mudando a mim mesmo." 
Sri Chinmoy

maio 14, 2012


Se os filhos estão bem alimentados,
É ela que se sente satisfeita. 

Se estão risonhos e felizes,
É ela que se pega sorrindo também.

Se estão de roupinha nova,
É ela que se sente bonita.
 
Se eles vão bem na escola,
Parece que o aproveitamento escolar é dela.

Se arranjam novos amigos,
É ela que se sente popular e querida.

Se viajam para novos lugares,
É ela que curte o passeio, mesmo ficando em casa.

A cada meta que atingem ou troféu que ganham,
É ela que curte a sensação de vitória.

Passa a gostar de rock,
Mesmo que antes não pudesse nem ouvir.

Passa a olhar com simpatia,
Os ídolos e os amores de seus filhos.

Passa a adorar cachorros,
Mesmo que antes só gostasse de gatos. 

Desnecessário dizer o que ela sente,
Quando alguma coisa dá errado, porque, por tabela,
Ela sentirá em dose tripla,
Cada tombo, Cada perda, Cada rejeição, Cada fracasso, Cada desapontamento.
Tudo isto são...coisas de mãe ! 

(desconheço a autoria)

abril 27, 2012


"Tive vontade de sentar na calçada (...) e chorar,
mas preferi entrar numa livraria,
comprar um caderno lindo e anotar sonhos."
 (Caio F. Abreu)

abril 26, 2012


Vai menina, fecha os olhos.
 Solta os cabelos.
 Joga a vida. Como quem não tem o que perder. 
Como quem não aposta. Como quem brinca somente.
 Vai, esquece do mundo.
 Molha os pés na poça.
 Mergulha no que te dá vontade. 
Que a vida não espera por você.
 Abraça o que te faz sorrir. Sonha que é de graça.
 Não espere.
 Promessas, vão e vem.
 Planos, se desfazem. Regras, você as dita.
 Palavras, o vento leva.
 Distância, só existe pra quem quer.
 Sonhos, se realizam, ou não.
 Os olhos se fecham um dia, pra sempre. 
E o que importa você sabe, menina. 
É o quão isso te faz sorrir. 
E só.'
 (Caio Fernando Abreu)

"Mestre, como é bom estarmos aqui!" Mt 17, 1-9 

Porque confiei que Tu me darias sempre outra oportunidade para que eu voltasse uma e outra vez e pudesse beber do essencial das primeiras fontes.
Porque precisava deste tempo a sós Contigo e com o outro que caminha comigo,
porque não trilho veredas sozinha em momento algum, 
porque há Vida, há Luz, há Esperança. 
Porque deponho as máscaras de quase todos os dias e sou mais eu quando estou Contigo.
Sou mais Eu, assim, no tempo que faço Teu, nos braços que me esperam e me acolhem sem perguntas ou ressentimento,
nos momentos em que a Palavra se revela verdadeiro pão e sacia,
como poucas vezes, a minha fome do Teu estar, do Teu Amor. 
Porque não há no mundo lugar maior ou mais seguro do que aquele por onde Tu andas
quando eu Te deixo andar comigo. 
Porque só este é para mim o sentido autêntico do tempo que me cabe, que não tenho mais nem outro.
Porque os sonhos perdem a forma e o tamanho de tão extravasados. 
Porque o entusiasmo perde os limites que lhe vou pondo.
Porque a vontade e o ânimo perdem a medida que têm tido.
E, por fim, esvazia-se o copo repleto que não levava o essencial.
E tudo parece ficar a ser mais do que possível. 
Mesmo muito mais do que possível. 
Amém!

Encontrei este texto nas minhas andanças pela internet. Minha nossa! fiquei enlouquecida com tão profunda espiritualidade,  está aí o que eu queria te falar meu Pai, meu Deus, meu irmão e amigo.

abril 17, 2012

 "Onde é que no olhar da criança 
Começa o céu e acaba a terra?"
(desconheço a autoria)

'Perdoe o mau; a vida se encarregará dele...' 
 Chico Xavier

"Alguns pensamentos são preces.
 Há momentos em que, 
qualquer que seja a posição do corpo
 a alma está de joelhos."
 Victor Hugo

'De outra vez vi Deus, 
era um menino que me dizia para não perder a infância,
 que a infância era Deus.'  
Caio Fernando Abreu -

abril 13, 2012

Dentro de mim mora um anjo... Que tem a boca pintada 
Que tem as unhas pintadas Que tem as asas pintadas 
Que passa horas à fio No espelho do toucador 
Dentro de mim mora um anjo Que me sufoca de amor
 Dentro de mim mora um anjo Montado sobre um cavalo 
Que ele sangra de espora Ele é meu lado de dentro
 Eu sou seu lado de fora Quem me vê assim cantando
 Não sabe nada de mim Dentro de mim mora um anjo 
Que arrasta suas medalhas E que batuca pandeiro
 Que me prendeu em seus laços Mas que é meu prisioneiro 
Acho que é colombina Acho que é bailarina
 Acho que é brasileiro Quem me vê assim cantando 
Não sabe nada de mim!!!!
 (Composição: Sueli Costa e Cacaso)

Canção do dia de sempre

Tão bom viver dia a dia...
 A vida assim, jamais cansa... 
Viver tão só de momentos Como estas nuvens no céu...
 E só ganhar, toda a vida, 
Inexperiência... esperança... 
E a rosa louca dos ventos Presa à copa do chapéu. 
Nunca dês um nome a um rio: Sempre é outro rio a passar. 
 Nada jamais continua, Tudo vai recomeçar! 
E sem nenhuma lembrança
 Das outras vezes perdidas,
 Atiro a rosa do sonho 
Nas tuas mãos distraídas...
(Mário Quintana)

 Se eu morrer antes de você, faça-me um favor:
 Chore o quanto quiser, mas não brigue comigo.
 Se não quiser chorar, não chore; 
Se não conseguir chorar,
 não se preocupe; 
Se tiver vontade de rir, ria; 
Se alguns amigos contarem algum fato a meu respeito, 
ouça e acrescente sua versão; 
Se me elogiarem demais, 
corrija o exagero. 
Se me criticarem demais, defenda-me; 
Se me quiserem fazer um santo, 
só porque morri, mostre que eu tinha um pouco de santo, 
mas estava longe de ser o santo que me pintam; 
Se me quiserem fazer um demônio, 
mostre que eu talvez tivesse um pouco de demônio, 
mas que a vida inteira eu tentei ser bom e amigo...
 E se tiver vontade de escrever alguma coisa sobre mim,
 diga apenas uma frase: 
-"Foi meu amigo, acreditou em mim e sempre me quis por perto!" 
Aí, então derrame uma lágrima. 
Eu não estarei presente para enxugá-la, 
mas não faz mal. 
Outros amigos farão isso no meu lugar.
 Gostaria de dizer para você que viva como quem sabe que vai morrer um dia,
 e que morra como quem soube viver direito. 
Amizade só faz sentido se traz o céu para mais perto da gente,
 e se inaugura aqui mesmo o seu começo.
 Mas, se eu morrer antes de você, 
acho que não vou estranhar o céu. 
"Ser seu amigo, já é um pedaço dele..."
(Chico Xavier)

março 10, 2012


"Sinto-me como aquele menina que recebeu uma bacia de cerejas.
 As primeiras, ela chupou displicente, mas percebendo que faltam poucas, rói o caroço.
 Já não tenho tempo para lidar com mediocridades.
 Não quero estar em reuniões onde desfilam egos inflamados.
 Inquieto-me com invejosos tentando destruir quem eles admiram, cobiçando seus lugares, talentos e sorte.
 Já não tenho tempo para conversas intermináveis, para discutir assuntos inúteis sobre vidas alheias que nem fazem parte da minha.
 Já não tenho tempo para administrar melindres de pessoas,
 que apesar da idade cronológica, são imaturos. 
Detesto fazer acareação de desafectos que brigaram pelo majestoso cargo de secretário geral do coral. 
As pessoas não debatem conteúdos, apenas os rótulos.
 O meu tempo tornou-se escasso para debater rótulos, quero a essência, minha alma tem pressa... 
 Sem muitas cerejas na bacia, quero viver ao lado de gente humana, muito humana;
 que sabe rir de seus tropeços, que não se encanta com triunfos, não se considera eleita antes da hora, não foge de sua mortalidade.
 Caminhar perto de coisas e pessoas de verdade, 
O essencial faz a vida valer a pena.
 E para mim, basta o essencial! 
 (Mario de Andrade)

fevereiro 09, 2012


Se amanhã o que eu sonhei não for bem aquilo,
eu tiro um arco-íris da cartola. 
E refaço.
Colo
Pinto e bordo.
Porque a força de dentro é maior.
Maior que todo mal que existe no mundo.
Maior que todos os ventos contrários. 
É maior porque é do bem. 
E nisso, sim, acredito até o fim.
O destino da felicidade, 
me foi traçado no berço. 
Cris Carvalho

Com um pedido de desculpas a Cris Carvalho pelo engano cometido quanto
a autoria deste texto, publicado aqui em janeiro de 2011, o qual foi atribuído
a Caio F. Abreu, pois foi assim que encontrei em algum lugar na internet.
Sempre é tempo de corrigir, não?

janeiro 12, 2012


"Porque tinha a coragem mais bonita que se podia ter, 
tinha coragem de tentar ser feliz."
(Fernanda Myamoto)

janeiro 09, 2012



“Meu Deus, não sou muito forte, 
não tenho muito além de uma certa fé - 
não sei se em mim, se numa coisa que chamaria de justiça-cósmica ou a-coerência-final-de-todas-as-coisas. 
Preciso agora da tua mão sobre a minha cabeça. 
Que eu não perca a capacidade de amar, de ver, de sentir.
Que eu continue alerta. 
Que, se necessário, eu possa ter novamente o impulso do vôo no momento exato.
Que eu não me perca, que eu não me fira, que não me firam, que eu não fira ninguém. 
Livra-me dos poços e dos becos de mim, Senhor. 
Que meus olhos saibam continuar se alargando sempre.”
— Caio Fernando Abreu

janeiro 04, 2012


"Te desejo uma fé enorme.
Em qualquer coisa, não importa o quê.
Desejo esperanças novinhas em folha, todos os dias. 
Tomara que a gente não desista de ser quem é por nada nem ninguém deste mundo.
Que a gente reconheça o poder do outro sem esquecer do nosso.
Que as mentiras alheias não confundam as nossas verdades, mesmo que as mentiras e as verdades sejam impermanentes. 
Que friagem nenhuma seja capaz de encabular o nosso calor mais bonito.
Que, mesmo quando estivermos doendo, não percamos de vista nem de sonho a ideia da alegria.
Tomara que apesar dos apesares todos, a gente continue tendo valentia suficiente para não abrir mão de se sentir feliz.
As coisas vão dar certo. 
Vai ter amor, vai ter fé, vai ter paz – se não tiver, a gente inventa.
Te quero ver feliz, te quero ver sem melancolia nenhuma.
Certo, muitas ilusões dançaram.
Mas eu me recuso a descrer absolutamente de tudo, eu faço força para manter algumas esperanças acesas, como velas. 
Que 2012(13,14,15...) seja doce.
Repito sete vezes para dar sorte: que seja doce que seja doce que seja doce e assim por diante. 
Que seja bom o que vier, pra você."
(Caio Fernando Abreu)



“A gente pode morar numa casa mais ou menos,
numa rua mais ou menos,
numa cidade mais ou menos,
e até ter um governo mais ou menos. 
A gente pode dormir numa cama mais ou menos,
comer um feijão mais ou menos,
ter um transporte mais ou menos,
e até ser obrigado a acreditar mais ou menos no futuro. 
A gente pode olhar em volta e sentir que tudo está mais ou menos... 
TUDO BEM! 
O que a gente não pode mesmo, nunca, de jeito nenhum...
é amar mais ou menos,
sonhar mais ou menos, 
ser amigo mais ou menos,
namorar mais ou menos, 
ter fé mais ou menos, 
e acreditar mais ou menos. 
Senão a gente corre o risco de se tornar uma pessoa mais ou menos.
Chico Xavier