Seguidores

janeiro 12, 2012


"Porque tinha a coragem mais bonita que se podia ter, 
tinha coragem de tentar ser feliz."
(Fernanda Myamoto)

janeiro 09, 2012



“Meu Deus, não sou muito forte, 
não tenho muito além de uma certa fé - 
não sei se em mim, se numa coisa que chamaria de justiça-cósmica ou a-coerência-final-de-todas-as-coisas. 
Preciso agora da tua mão sobre a minha cabeça. 
Que eu não perca a capacidade de amar, de ver, de sentir.
Que eu continue alerta. 
Que, se necessário, eu possa ter novamente o impulso do vôo no momento exato.
Que eu não me perca, que eu não me fira, que não me firam, que eu não fira ninguém. 
Livra-me dos poços e dos becos de mim, Senhor. 
Que meus olhos saibam continuar se alargando sempre.”
— Caio Fernando Abreu

janeiro 04, 2012


"Te desejo uma fé enorme.
Em qualquer coisa, não importa o quê.
Desejo esperanças novinhas em folha, todos os dias. 
Tomara que a gente não desista de ser quem é por nada nem ninguém deste mundo.
Que a gente reconheça o poder do outro sem esquecer do nosso.
Que as mentiras alheias não confundam as nossas verdades, mesmo que as mentiras e as verdades sejam impermanentes. 
Que friagem nenhuma seja capaz de encabular o nosso calor mais bonito.
Que, mesmo quando estivermos doendo, não percamos de vista nem de sonho a ideia da alegria.
Tomara que apesar dos apesares todos, a gente continue tendo valentia suficiente para não abrir mão de se sentir feliz.
As coisas vão dar certo. 
Vai ter amor, vai ter fé, vai ter paz – se não tiver, a gente inventa.
Te quero ver feliz, te quero ver sem melancolia nenhuma.
Certo, muitas ilusões dançaram.
Mas eu me recuso a descrer absolutamente de tudo, eu faço força para manter algumas esperanças acesas, como velas. 
Que 2012(13,14,15...) seja doce.
Repito sete vezes para dar sorte: que seja doce que seja doce que seja doce e assim por diante. 
Que seja bom o que vier, pra você."
(Caio Fernando Abreu)



“A gente pode morar numa casa mais ou menos,
numa rua mais ou menos,
numa cidade mais ou menos,
e até ter um governo mais ou menos. 
A gente pode dormir numa cama mais ou menos,
comer um feijão mais ou menos,
ter um transporte mais ou menos,
e até ser obrigado a acreditar mais ou menos no futuro. 
A gente pode olhar em volta e sentir que tudo está mais ou menos... 
TUDO BEM! 
O que a gente não pode mesmo, nunca, de jeito nenhum...
é amar mais ou menos,
sonhar mais ou menos, 
ser amigo mais ou menos,
namorar mais ou menos, 
ter fé mais ou menos, 
e acreditar mais ou menos. 
Senão a gente corre o risco de se tornar uma pessoa mais ou menos.
Chico Xavier