Seguidores

agosto 31, 2010

Silêncios


Há o silêncio que fala e o silêncio que cala... O que fala, acontece pelos olhos. O que cala, deixa de acontecer pelo coração.

(Soriano)

agosto 30, 2010

Inocência de criança



O autor e conferencista Leo Buscaglia certa ocasião falou de um concurso em que tinha sido convidado como jurado. O objetivo era escolher a criança mais cuidadosa. Eis alguns dos vencedores:
----------------------------------------------------------------------------
Um garoto de 4 anos tinha um vizinho idoso ao lado, cuja esposa havia falecido recentemente. Ao vê-lo chorar, o menino foi para o quintal dele, e simplesmente sentou-se em seu colo. Quando a mãe perguntou a ele o que havia dito ao velhinho, ele respondeu:
- Nada. Só o ajudei a chorar.
----------------------------------------------------------------------------
Os alunos da professora de primeira série Debbie Moon estavam examinando uma foto de família. Uma das crianças da foto tinha os cabelos de cor bem diferente dos demais. Alguém logo sugeriu que essa criança tivesse sido adotada. Logo uma menina falou:
- Sei tudo sobre adoção, porque eu fui adotada. Logo outro aluno perguntou-lhe: - O que significa "ser adotado"? - Significa - disse a menina - que você cresceu no coração de sua mãe, e não na barriga!
----------------------------------------------------------------------------
Sempre que estou decepcionado com meu lugar na vida, eu paro e penso no pequeno Jamie Scott. Jamie estava disputando um papel na peça da escola. Sua mãe me disse que tinha procurado preparar seu coração, mas ela temia que ele não fosse escolhido. No dia em que os papéis foram escolhidos, eu fui com ela para buscá-lo na escola. Jamie correu para a mãe, com os olhos brilhando de orgulho e emoção: - Adivinha o que, mãe! E disse aquelas palavras que continuariam a ser uma lição para mim: - Eu fui escolhido para bater palmas e espalhar a alegria!
----------------------------------------------------------------------------
Conta uma testemunha ocular de Nova York: Num frio dia de Dezembro, alguns anos atrás, um rapazinho de cerca de 10 anos, descalço, estava em pé em frente a uma loja de sapatos, olhando a vitrine e tremendo de frio. Uma senhora se aproximou do rapaz e disse: - Você está com pensamento tão profundo, olhando essa vitrine! - Eu estava pedindo a Deus para me dar um par de sapatos - respondeu o garoto... A senhora tomou-o pela mão, entrou na loja e pediu ao atendente para dar meia duzia de pares de meias para o menino. Ela também perguntou se poderia conseguir-lhe uma bacia com água e uma toalha. O balconista rapidamente atendeu-a e ela levou o garoto para a parte detrás da loja e, tirando as luvas, se ajoelhou e lavou seus pés pequenos e secou-os com a toalha. Nesse meio tempo, o empregado havia trazido as meias. Calçando-as nos pés do garoto, ela também comprou-lhe um par de sapatos. Ela amarrou os outros pares de meias e entregou-lhe. Deu um tapinha carinhoso em sua cabeça e disse: - Sem dúvida, vai ser mais confortável agora. Como ela logo se virou para ir, o garoto segurou-lhe a mão, olhou seu rosto diretamente, com lágrimas nos olhos e perguntou: - Você é a mulher de Deus?

agosto 29, 2010


O melhor contra-ataque é o sorriso
Soriano - (eu HOJE) on twitter

infinitude


Eu vou cantar pra você Do que é feito o novo amor:
De um outro amar, que é ceder, Pela unidade de todos nós.
Reinventar, reviver, Ressignificar o amor,
Que esse que estáJá não dá, caducou.
Essa já não é mais a época
De se ligar na própria dor!
E guerrear, sempre em nome do amor.
Pois o que ele quer É crescer o mais que der
Até a infinitude Do olhar, do ouvir,
Nas mãos em algum jardim,
Da gente da terra enfim.
Crescer, buscar, até chegar a Deus
Pra amar essa terra e os seus.
Djavan/Flávia Virgínia

agosto 28, 2010

agosto 23, 2010

pequena receita de felicidade


comece seu dia com um lindo sorriso no rosto, alegria no coração, esperança no peito, espalhe luz por onde for, ofereça uma flor, conceda o perdão, console os desesperados, anime os tristes, faça valer a alegria que trás energia ao corpo, leveza a mente, e deixe por fim a paz invadir seu ambiente e reinar entre todos.
A felicidade só depende de você mesma, atrai-a para si, viva-a com os demais que lhe rodeia,
esse é seu tempo, assim como também é sua história.
Faça acontecer!
(Lu Barros)

agosto 20, 2010


"Mas doutor, uma esmola
à um homem que é são,
ou lhe mata de vergonha
ou vicia o cidadão."
(Luiz Gonzaga)

O Melhor sou Eu!!!

Eu estou consciente e tenho o poder de pensar como eu quero.

Tenho o direito de pensar no que eu quero para o meu próprio bem.

Eu tenho e posso impor ao meu mundo interior tudo aquilo que eu quiser.

E quero me sintonizar com o melhor.

Esqueço, a partir de agora, a pessoa que eu fui, sobretudo meus vícios de pensamentos.

Penso apenas na paz.

Penso nela, permitindo que seu perfume toque minha aura e atinja todas as áreas da minha vida, todos os cantos do meu corpo.

Penso na paz com uma mensagem de ordem e equilíbrio perfeito.

Deixo fluir na minha cabeça a consciência do 'eu posso'.

Eu posso estar na paz.

Impor essa paz é praticar o meu poder pessoal com responsabilidade divina, obtida por herança natural.

O melhor para mim é um grande sorriso no peito.

É a felicidade barata e fácil a que tenho direito.

É tão simples pensar que o melhor está em mim! A beleza está em mim.

A suavidade está em mim.

A ternura, o calor, a lucidez e o esplendor das mais belas formas do universo estão em mim.

Aí eu me abro inteira, viro do avesso e sinto que não há fronteiras nem barreiras para mim.

Sinto que o limite é apenas uma impressão.

Sinto que cada condição foi apenas a insistência de uma posição.

Sinto que sou livre para deixar trocar qualquer posição por outra melhor.

Sou livre para descartar qualquer pensamento ruim, qualquer sentimento ou hábito negativo, qualquer paixão dolorosa.

Porque eu sou espírito.

Sou luz da vida em forma de pessoa.

Ah, universo, eu estou aberta para o melhor para mim.

Eu sei que muitas vezes sou levada por uma série de pensamentos ruins.

Mas é porque eu não conhecia a força da perfeição.

Eu não conhecia a lei do melhor.

Agora eu me entrego, me comprometo comigo, com o universo e contigo.

Vou manter a minha mente aberta.

Esse momento me desperta, me traz a inspiração ao longo do dia onde se efetiva a luz que irradia para quem insiste no próprio aperfeiçoamento.

Não quero pensar nas minhas fraquezas.

Quero olhar bem fundo nos meus olhos e ver como eu sou bonita, como fiz e faço coisas maravilhosas e como o meu peito está cheio de vontade.

Eu assumo a responsabilidade sobre essas vontades e me projeto com força nessa identidade de saber que eu posso, sim, fazer o melhor.

Despertar o meu espírito é viver nele.

É ter a satisfação de ser eu mesma.

É poder ser original, única, pequena e grande ao mesmo tempo.

Sei agora que o melhor está a meu favor.

Meu sucesso, aliás, é o sucesso de Deus que se manifesta em mim como pessoa em transformação.

Eu sinto como se tivesse sentado nessa cadeira da solidez universal porque eu estou no meu melhor.

Porque sou o sucesso da eternidade,

porque estou há milhares de anos seguindo e não fui destruída.

Porque o universo garante.

Grito dentro de mim mesma: de todas as coisas da vida, o melhor ainda sou eu.

O melhor sou eu!

Luis Gasparetto

agosto 18, 2010

agosto 17, 2010

uma oração


Obrigado Senhor por tantas graças recebidas,
pela tua misericórdia,
pelo teu amor.
Obrigado Senhor,
pelos meus dias, pela proteção, pelo alimento diário.
Obrigado Senhor pela minha família,
amigos.
Obrigado Senhor pelo meu ofício, meu trabalho.
Obrigado pela natureza que irradia energia,
pelo sol e pela lua, pela luz das estrelas.
Obrigado Senhor pela vida fecunda e prospera, pela imensidão da tua cura
e amor.
Obrigado Senhor!!!
(Lu Barros)

agosto 15, 2010

Todos os dias quando acordo
Não tenho mais O tempo que passou
Mas tenho muito tempo
Temos todo o tempo do mundo...
Temos nosso próprio Tempo...
(legião Urbana)

Quanto ao tempo

Quanto ao tempo te esperei
E o passado assim passou
Hoje o céu
mudou de tom

Pra falar do nosso amor
Acho que chorei igual
Com a chuva
no quintal
Acho que sonhei do bom
Hoje o céu
mudou de tom...
(trecho da música Quanto ao tempo - Carlinhos Brown)

Ver o sol amanhecer
E ver a vida acontecer, Como um dia de domingo
Michael Sullivan e Paulo Massadas

agosto 12, 2010


Vem me transformar
em mais do que hoje sou: Mais forte e mais serena,
mais confiante e mais dura,
mas também doce quando precisares
Lya Luft

agosto 11, 2010


Nasce um princípe:
dia 06/08/2010

"chegou pintando
as cores do arcoíris,
trazendo o sol
nas mãos, a pureza
divina da criança
criação de Deus"


Meu pequeno Rique.

agosto 06, 2010



"O amor é assim, é a paz de Deus em sua casa"
Charles Brown Junior


hoje me sinto feliz!
parece dia de domingo no parque,

contando estrelas toda lambuzada de sorvete, como
numa linda manhã de Natal,
isso é felicidade...

agosto 04, 2010

Rique, o Pequeno Princípe!





Mãe,
Fica um minutinho em silêncio,
quero lhe falar ainda no seu ventre mágico,
conta para o papai, tá?
quero dizer que já conheço a palavra felicidade e seu significado,
sinto explodir essa sementinha
aqui dentro do meu coraçãozinho.

No seu útero estou tão protegido, alimentado, carinhosamente cuidado...
escuto sua voz a chamar meu nome,
sinto seu gosto, seu perfume, como é doce e suave...
sinto suas carícias, as mãos do papai ...
o tempo todo me ensinam a amar,
de olhinhos fechados já os reconheço.

Agora vou cochilar um pouquinho escutando as batidas de seu coração a me embalar.

Prometo estar aí com vocês essa próxima sexta feira, dia 6 de Agosto de 2010,

palavra de escoteiro!.

Eu, você, papai,

juntinho ao meus avós que me aguardam com carinho

formaremos uma linda e feliz família.


Ah!, escutou esse barulhinho estalado???
é um beijinho doce que deixo para você e pro papai.

Amo, amo, amo vocês, desde já e para sempre...
seu filhinho, Henrique.

P.S - podem me chamar simplesmente "Rique",

o pequeno princípe!.

(Lu Barros)

A Eduardo e Carolina, meus beijos de luz e paz! um agradecimento por me permitir tornar-me Vó, cumprindo meu maior e intenso desejo.

Vovó Lu





agosto 03, 2010


"A arquitetura da minha alma é barroca.
Sou fraca, sou forte, sou luz, sou sombra.
Sou de aço, sou de flores."
(Pe. Fábio de Melo)

agosto 02, 2010


Quero rezar e chorar, arrepender-me de crimes que não cometi,
desfrutar de ser perdoado por uma carícia não propriamente maternal.
Um regaço para chorar,
mas um regaço enorme,
sem forma, espaçoso como uma noite de verão,
e ainda assim próximo, quente, feminino, ao lado de qualquer fogo…
Poder chorar ali coisas impensáveis, faltas que não sei quais são,
ternuras de coisas inexistentes, e grande dúvidas crispadas de não sei que futuro…
Uma infância nova, uma ama velha outra vez e uma cama pequena onde acabe por dormir,
entre contos que embalam, mal ouvidos, com uma atenção que se põe frouxa,
de raios que penetravam em jovens cabelos dourados como o trigo…
E tudo isso muito grande, muito eterno, definitivo para sempre,
da estatura única de Deus, mais além do fundo triste e sonolento da realidade última das coisas…
Um regaço ou um berço ou um braço quente ao redor de meu pescoço…
Uma voz que canta baixo e parece querer fazer-me chorar…
O ruído das chamas no lar…
Um calor no inverno…
Um extravío suave de minha consciência…
E depois, sem ruído, um sonho tranquilo em um espaço enorme, com a lua rodando entre estrelas…
Quando ponho em um canto, com um cuidado pleno de carinho
– com vontade de dar-lhes beijos – meus brinquedos, as palavras, as imagens, as frases
- e fico tão pequeno e tão inofensivo, tão só em um quarto tão grande e tão triste,
tão profundamente triste!
Depois de tudo, quem sou eu quando não brinco?
Um pobre órfão abandonado nas ruas das sensações,
tiritando de frio nas esquinas da Realidade,
tendo que dormir nos degraus da Tristeza e que comer o pão doado pela Fantasia.
De um pai sei o nome; me disseram que se chama Deus, mas o nome não me dá idéia de nada.
As vezes, de noite, quando me sento sozinho,
o chamo e choro, e me faço uma idéia de um ele a quem possa amar…
Mas depois penso que não o conheço, que talvez não seja assim,
que talvez não seja nunca esse pai de minha alma…
Quando terminará tudo isto, estas ruas por onde arrasto minha miséria,
e estes degraus onde encolho meu frio e sinto as mãos da noite entre meus farrapos?
Se um dia viesse Deus a buscar-me e me levasse a sua casa e me desse calor e afeto…
Mas o vento se arrasta pela rua e as folhas caem sobre a calçada…
Ergo os olhos e vejo as estrelas que não têm nenhum sentido…
E de tudo isto apenas fico eu, um pobre menino abandonado…
Tenho muito frio. Estou tão cansado em meu abandono!
Vai buscar, oh vento, minha Mãe.
Leva-me pela Noite à casa que não cheguei a conhecer…
Volta a dar-me, oh Silêncio,
minha alma e meu berço e a canção com que dormia.”
Fernando Pessoa
"Não se nasce mulher: torna-se."
Simone de Beauvoir