Seguidores

dezembro 31, 2009

Primavera Outonal


Viver é mais que saber
que nada é definitivo
quando o corpo está vivo,
quando bate o coração.
O resto é futuro incerto.
Felicidade de giz desenhada no deserto.
Viver é mais que querer estar aqui ou ali.
É simplesmente viver.
Sem procurar entender
por que o março outonal
é a primavera a florir
nos marços de Portugal.
Kátia Drummond

dezembro 30, 2009



Como será amanhã?
Responda quem puder
O que irá me acontecer?
O meu destino será
Como Deus quiser
Como será?...


Amanhã
Será um lindo dia
Da mais louca alegria
Que se possa imaginar
Amanhã
Redobrada a força
Pra cima que não cessa
Há de vingar
Amanhã
Será pleno, será pleno...
FELIZ 2010!

dezembro 29, 2009


Faço
votos que o Ano Novo tenha em suas páginas homens de boa vontade,
empenhados na construção de um mundo mais digno, que essa nova etapa
seja realmente próspera para todos, onde a busca de mais igualdade seja
constante, para que possamos contemplar um futuro onde a palavra fome,
por exemplo, caiba somente como “fome” de justiça ao homem, enquanto
seu outro significado seja abolido por completo tanto do intelecto,
como de algumas mesas que hoje de tão vazias, confundem-se com os
desenhos da toalha...
Desejo que o Ano novo venha recheado de
esperança em proporções iguais para todos e que o amor ao próximo seja
tão forte que mostre o quanto tolas são as diferentes guerras
alimentadas pela ignorância humana.

FELIZ ANO NOVO!!

Clarice Lispector

"... Minha alma não é imaterial, ela é do mais delicado material de coisa. Ela é coisa, só não consigo consubstanciá-la em grossura visível.

Ah! Meu amor, as coisas da alma são muito delicadas. A gente pisa nelas com uma pata humana demais..."

dezembro 28, 2009

oração de final do ano


Senhor Deus, dono do tempo e da eternidade,
Teu é o hoje e o amanhã, o passado e o futuro.
Ao acabar mais um ano,
quero Te dizer obrigado por tudo aquilo que recebi de Ti.

Obrigado pela vida e pelo amor, pelas flores, pelo ar e pelo sol,
pela alegria e pela dor,
pelo o que foi possível e pelo o que não foi.


Ofereço-Te tudo o que fiz neste ano,
o trabalho que pude realizar,
as coisas que passaram pelas minhas mãos e o que com elas pude construir.
Apresento-Te as pessoas que ao longo destes meses amei,
as amizades novas e os antigos amores.
Os que estão perto de mim e aqueles que pude ajudar,
aos com quem compartilhei a vida, o trabalho,
a dor e a alegria.


Mas também, Senhor, hoje quero Te pedir perdão.
Perdão pelo tempo perdido
pelo dinheiro mal gasto,
pela palavra inútil e o amor desperdiçado.
Perdão pelas obras vazias e pelo trabalho mal feito,
perdão por viver sem entusiasmo.


Também pela oração que aos poucos fui adiando e que agora venho apresentar-Te.
Por todos meus olvidos,
descuidos e silêncios, novamente Te peço perdão.
Nos próximos dias, começaremos um novo ano.
Paro a minha vida diante do novo calendário que ainda não se iniciou
e Te apresento estes dias,
que somente Tu sabes se chegarei a vivê-los.


Hoje, Te peço para mim, meus parentes e amigos,
a paz e a alegria, a fortaleza e a prudência, a lucidez e a sabedoria.
Quero viver cada dia com otimismo e bondade
levando a toda parte um coração cheio de compreensão e paz.


Fecha meus ouvidos a toda falsidade e meus lábios a palavras mentirosas,
egoístas ou que magoem.
Abre, sim, meu ser a tudo que é bom.
Que meu espírito seja repleto somente de bênçãos
para que as derrame por onde passar.


Senhor, a meus amigos que lêem esta mensagem,
enche-os de sabedoria, paz e amor.
E que nossa amizade dure para sempre em nossos corações.
Enche-me também, de bondade e alegria para que todas as pessoas que eu encontrar no meu caminho possam descobrir em mim um pouquinho de Ti.
Dá-nos um ano feliz e ensina-nos a repartir felicidade.
Amém.”

Receita de Ano Novo


Para você ganhar belíssimo Ano Novo
cor do arco-íris,
ou da cor da sua paz,
Ano Novo sem comparação com todo o tempo já vivido (mal vivido talvez ou sem sentido) para você ganhar um ano não apenas pintado de novo,
remendado às carreiras,
mas novo nas sementinhas do vir-a-ser;
novo até no coração das coisas menos percebidas (a começar pelo seu interior) novo, espontâneo, que de tão perfeito nem se nota,
mas com ele se come, se passeia, se ama, se compreende, se trabalha,
você não precisa beber champanha ou qualquer outra birita,
não precisa expedir nem receber mensagens

(planta recebe mensagens?
passa telegramas?)
Não precisa fazer lista de boas intenções para arquivá-las na gaveta.
Não precisa chorar arrependido pelas besteiras consumadas
nem parvamente acreditar que por decreto de esperança
a partir de janeiro as coisas mudem e seja tudo claridade,
recompensa,
justiça entre os homens e as nações,
liberdade com cheiro e gosto de pão matinal,
direitos respeitados, começando pelo direito augusto de viver.
Para ganhar um Ano Novo que mereça este nome, você, meu caro,
tem de merecê-lo,
tem de fazê-lo novo, eu sei que não é fácil,
mas tente, experimente, consciente.
É dentro de você que o Ano Novo
cochila e espera desde sempre.

2010



Dentro de alguns dias estaremos no último dia do ano de 2009...e depois da meia-noite, virá o Ano Novo...
O engraçado é que - teoricamente - continua tudo igual...
Ainda seremos os mesmos.
Ainda teremos os mesmos amigos.
Alguns o mesmo emprego.
O mesmo parceiro(a).
As mesmas dívidas (emocionais e/ou financeiras).
Ainda seremos fruto das escolhas que fizemos durante a vida.
Ainda seremos as mesmas pessoas que fomos este ano...
A diferença, a sutil diferença, é que quando o relógio nos avisar que
é meia-noite, do dia 31 de dezembro de 2009,teremos um ano INTEIRO pela frente!
Um ano novinho em folha!Como uma página de papel em branco, esperando pelo que iremos escrever.
Um ano para começarmos o que ainda não tivemos força de vontade,
coragem ou fé...
Um ano para perdoarmos um erro, um ano para sermos perdoados dos nossos....
365 dias para fazermos o que quisermos...
Sempre há uma escolha..
E, exatamente por isso, eu desejo que você faça as melhores escolhas que puder.
Desejo que sorria o máximo que puder.
Cante a música que quiser.
Beije muito.
Ame mais.
Abrace bem apertado.

Durma com os anjos.
Seja protegido por eles.
Agradeça por estar vivo e ter sempre mais uma chance para recomeçar.
Agradeça as suas escolhas, pois certas ou não, elas são suas
.E ninguém pode ou deve questioná-las.
Quero agradecer aos amigos que eu tenho:
Aos que me 'acompanham' desde muito tempo.
Aos que eu fiz este ano.
Aos que eu escrevo pouco, mas lembro muito.
Aos que eu escrevo muito e falo pouco.
Aos que moram longe e não vejo tanto quanto gostaria.
Aos que moram perto e eu vejo sempre.
Aos que me 'seguram', quando penso que vou cair.
Aos que eu dou a mão, quando me pedem ou quando me parecem um pouco perdidos.
Aos que me parecem fortes e aos que realmente são.
Aos que me parecem anjos, mas estão aqui e me dão a certeza de que
este mundo é mesmo divino.
Obrigado por fazer parte da minha história.
(desconheço a autoria)

dezembro 24, 2009


"Natal à base do materialismo é como ir numa festa, se fartar, divertir-se e ir embora sem cumprimentar o aniversariante"
Dom Jacinto

Então é Natal, o que você fez?
O ano termina e começa outra vez?
(John Lennon)








dezembro 23, 2009

O Natal está próximo


Temos consciência de que ao celebrarmos o Natal
fazemos
memória ao nascimento do Deus Encarnado,Alinhar ao centro que veio morar entre nós?
Estamos fazendo do Advento um tempo de espera e preparação interior,
para acolher aquele que é o real motivo de existir o Natal, Jesus Cristo?
Que presente estamos preparando para o aniversariante homenageado no Natal?
Estamos voltados para as riquezas do alto,
acolhendo Jesus em nosso coração,
em nossa família,
na sociedade ou encontramo-nos mergulhados na beleza das luzes coloridas,
na riqueza dos enfeites e no consumismo?
Percebemos a presença de Jesus no irmão que passa necessidade,
no doente,
no excluído e naquele para quem Jesus ainda não nasceu?

O Advento é um tempo propício à reflexão, à oração e à conversão.
Preparemo-nos espiritualmente para acolher o Emanuel,

o Deus-conosco,
que veio a esse mundo para nos salvar e deixar uma mensagem de fé,
de esperança e de amor!
Que o nosso coração seja uma manjedoura que acolha o Menino Jesus;
que o nosso lar seja uma gruta,
onde Maria e José encontrem abrigo
e que o Brasil seja um grande presépio,

onde Jesus possa ser reconhecido e acolhido como Senhor e Salvador!
“O Verbo se fez carne e habitou entre nós” (Jo 1,18).

(trecho do texto de autoria de Rosemary de Ross)

FELIZ NATAL!

dezembro 21, 2009



Hoje me disseram: '' Quem sabe você não é a LUZ que nós tanto procuramos?''

E esta frase mexeu comigo!

Mexeu porque o que eu mais quero é ser LUZ para as pessoas.

Mas como ser LUZ neste mundo onde tantos espalham escuridão?

Como ser LUZ neste mundo onde existe tanta injustiça,

pecado,

falta de Amor,

compaixão pelo próximo?

Como ser LUZ neste mundo de trevas.

Como ser LUZ? Sendo!

Irradiando o brilho que todos temos dentro de nós!

É preciso que façamos nossa parte,

mesmo que sejamos um pingo neste oceano,

é preciso que façamos nossa parte.

O mundo precisa de nós,

Deus conta conosco!

Quero ser LUZ para meus familiares,

meus amigos,

meus amados.

Quero ser LUZ para clarear o caminho daqueles que muitas vezes não sabem por onde andar. Quero ser LUZ para levar alegria aos corações que buscam socorro.

Quero ser LUZ!

Quero ser LUZ

na sua vida!

(autoria desconhecida)

dezembro 18, 2009

Dê um Clik neste Natal


Dê um CLIQUE DUPLO neste NATAL!
ARRASTE JESUS
para seu DIRETÓRIO PRINCIPAL,
SALVE-O em todos seus ARQUIVOS PESSOAIS,.
SELECIONE-O como seu DOCUMENTO MESTRE..

Que ele seja seu MODELO
para FORMATAR sua vida:
JUSTIFIQUE-a e ALINHE-a
À DIREITA e À ESQUERDA,
sem QUEBRAS na sua caminhada.

Que JESUS não seja apenas
um ÍCONE, um ACESSÓRIO,
uma FERRAMENTA, um RODAPÉ,
um PERIFÉRICO,
um ARQUIVO TEMPORÁRIO,
mas o CABEÇALHO,
a LETRA CAPITULAR,
a BARRA DE ROLAGEM
de seu caminhar.

Que Ele seja a FONTE de energia
para sua ÁREA DE TRABALHO,
o PAINTBRUSH
para COLORIR seu sorriso,
a CONFIGURAÇÃO de sua simpatia,
a NOVA JANELA para VISUALIZAR
o TAMANHO de seu amor.

No seu dia-a-dia, seja Ele
o PAINEL DE CONTROLE
para DESFRAGMENTAR sua vida,
fazer DOWNLOAD de seus sonhos
e OPTIMIZAR suas realizações.

DESATIVE seu egoísmo,
COMPACTE suas liberdades,
CANCELE seus RECUOS,
e DELETE seus ERROS.

COMPARTILHE seus RECURSOS,
ACESSE o coração de seus amigos.
e ESCANEIE para eles
o que você tem de bom.

Não deixe à MARGEM ninguém,
ABRA as BORDAS de seu coração
e REMOVA dele o VÍRUS do desamor.

Antes de SAIR,
coloque JESUS nos seus FAVORITOS
e seu NATAL será o ATALHO
para sua felicidade!

CLIQUE agora em OK
para REINICIAR e ATUALIZAR
seus CONTEÚDOS!

dezembro 17, 2009

Retrato

Mente confusa
neblina a visão que se turva
Perdi a noção do tempo
Já não posso tocar
só sentir
Penso nos dias de verão
nas noites de lua
Penso no que foi bom e no instante que se foi
Desejos diferentes
caminhos desiguais
nada importa
Nem mesmo o minuto a seguir
Tudo é pouco
Tudo é nada
O minuto indefinido
ficam as marcas tatuadas no corpo
Promessas inscritas
Agora sem sentido
perdidas na peça inacabada
na cortina que se fecha
Fio da navalha que corta
rasga o coração
sangra
lágrimas escondidas
insistem em lavar o rosto
recôndito de um instante triste
Retrato do que passou.
Lu Barros

dezembro 14, 2009

A Arte de ser avó

" eu simplesmente eu" vou ser avó


Netos são como heranças: você os ganha sem merecer.

Sem ter feito nada para isso, de repente lhe caem do céu.

É, como dizem os ingleses, um ato de Deus.

Sem se passarem as penas do amor, sem os compromissos do matrimônio, sem as dores da maternidade.

E não se trata de um filho apenas suposto, como o filho adotado: o neto é realmente o sangue do seu sangue, filho de filho, mais filho que o filho mesmo...

Cinquenta anos, cinquenta e cinco...

Você sente, obscuramente, nos seus ossos, que o tempo passou mais depressa do que esperava. Não lhe incomoda envelhecer, é claro.

A velhice tem as suas alegrias, as suas compensações

— todos dizem isto embora você pessoalmente, ainda não as tenha descoberto

— mas acredita.

Todavia, também obscuramente, também sentida nos seus ossos, às vezes lhe dá aquela nostalgia da mocidade.

Não de amores nem de paixões: a doçura da meia-idade não lhe exige essas efervescências.

A saudade é de alguma coisa que você tinha e lhe fugiu sutilmente junto com a mocidade. Bracinhos de criança no seu pescoço.

Choro de criança.

O tumulto da presença infantil ao seu redor.

Meus Deus, para onde foram as suas crianças?

Naqueles adultos que hoje são seus filhos, que têm sogro e sogra, cônjuge, emprego, apartamento a prestações,

você não encontra de modo nenhum as suas crianças perdidas.

São homens e mulheres - não são mais aquelas crianças que você recorda.

E então um belo dia, sem que lhe fosse imposta nenhuma das agonias da gestação ou do parto,

o doutor lhe põe nos braços um menino.

Completamente grátis — aquela criancinha da sua raça, da qual você morria de saudades, símbolo ou penhor da mocidade perdida.

Pois aquela criancinha, longe de ser um estranho, é um menino que lhe é "devolvido".

E o espantoso é que todos lhe reconhecem o seu direito de o amar com extravagância;

ao contrário causaria escândalo e decepção se você não o acolhesse imediatamente com todo aquele amor recalcado que há anos se acumulava, desdenhado, no seu coração.

Sim, tenho certeza que a vida nos dá os netos para nos compensar de todas as mutilações trazidas pela velhice.

São amores novos, profundos e felizes que vêm ocupar aquele lugar vazio, nostálgico, deixado pelos arroubos juvenis.

Aliás, desconfio muito de que os netos são melhores que namorados,

pois que as violências da mocidade produzem mais lágrimas do que enlevos.

No entanto — no entanto! — nem tudo são flores no caminho da avó.

Há, acima de tudo, a rival: a mãe.

Não importa que ela seja sua filha.

Não deixa por isso de ser mãe do seu neto.

Não importa que ela ensine o menino a lhe dar beijos e a lhe chamar de "vovozinha", e lhe conte que de noite, às vezes, ele de repente acorda e pergunta por você.

São lisonjas, nada mais.

Rigorosamente, nas suas posições respectivas, a mãe e a avó representam,

em relação ao neto, papéis muito semelhantes ao da esposa e da amante dos triângulos conjugais.

A mãe tem todas as vantagens da domesticidade e da presença constante.

Dorme com ele, dá-lhe de comer, dá-lhe banho, veste-o.

Embala-o de noite.

Contra si tem a fadiga da rotina, a obrigação de educar e o ônus de castigar.

Já a avô, não tem direitos legais, mas oferece a sedução do romance e do imprevisto.

Mora em outra casa.

Traz presentes.

Faz coisas não programadas.

Leva a passear, "não ralha nunca".

Deixa lambuzar de pirulitos.

Não tem a menor pretensão pedagógica.

É a confidente das horas de ressentimento, o último recurso nos momentos de opressão, a secreta aliada nas crises de rebeldia.

Uma noite passada em sua casa é uma deliciosa fuga à rotina, tem todos os encantos de uma aventura.

Lá não há linha divisória entre o proibido e o permitido.

Dormir sem lavar as mãos, recusar a sopa e comer croquetes, tomar café — café!

— mexer no armário da louça,

fazer trem com as cadeiras da sala,

destruir revistas, derramar a água do gato,

acender e apagar a luz elétrica mil vezes se quiser e até fingir que está discando o telefone.

Riscar a parece com o lápis dizendo que foi sem querer — e ser acreditado!

Fazer má-criação aos gritos e, em vez de apanhar, ir para os braços da avó e de lá escutar os debates sobre os perigos e os erros da educação moderna.

Sabe-se que, no reino dos céus, o cristão desfruta os mais requintados prazeres da alma.

Porém esses prazeres não estarão muito acima da alegria de sair de mãos dadas com o seu neto, numa manhã de sol.

E olhe que aqui embaixo você ainda tem o direito de sentir orgulho, que aos bem-aventurados será defeso.

Meu Deus, o olhar das outras avós, com os seus filhotes magricelas ou obesos, a morrerem de inveja do seu maravilhoso neto.

E quando você vai embalar o menino e ele, tonto de sono, abre um olho, lhe reconhece, sorri e diz: "Vó!", seu coração estala de felicidade, como pão ao forno.

E o misterioso entendimento que há entre avó e neto, na hora em que a mãe o castiga, e ele olha para você, sabendo que, se você não ousa intervir abertamente, pelo menos lhe dá sua incondicional cumplicidade e apoio...

Além é claro das compensações....

Até as coisas negativas se viram em alegrias quando se intrometem entre avó e neto: o bibelô de estimação que se quebrou porque o menininho — involuntariamente! — bateu com a bola nele. Está quebrado e remendado, mas enriquecido com preciosas recordações: os cacos na mãozinha, os olhos arregalados, o beiço pronto para o choro;

e depois, o sorriso malandro e aliviado porque "ninguém" se zangou,

o culpado foi a bola mesma, não foi, Vó?

Era um simples boneco que custou caro.

Hoje é relíquia: não tem dinheiro que pague.

Texto de Raquel de Queiroz

dezembro 08, 2009

Maria, mulher de Fé.

Maria, mulher de fé
doce olhar sereno, cheio de humildade,
face iluminada, rubra como as rosas,
luz cristalina, mãe do silêncio,
mulher de fé, de fibra,
revestida de sol, senhora do mundo,
mãe de todos nós,
Maria entre as Marias,
entre todas singular,
pura, cheia de graça,
Ave mãe, Ave Maria,
repousa teu olhar sereno em nós teus filhos,
faz-nos simples como tu és,
dá-nos um coração puro como o teu,
aumenta nossa fé.
Mãe cobre-nos com teu manto sagrado,
protege-nos das ciladas do inimigo,
conduz-nos pelas veredas que nos leva ao filho...
ao Pai,
Maria, mulher iluminada, magnânima,
na tua simplicidade resplandece teu poder soberano.
obrigada Maria, obrigada mãe,
através de teu “sim” nasceu o salvador do mundo,
obrigada Mãe querida,
com o Pai e o Filho nos acolhes em teus braços.
Teu nome é bendito e será lembrado por todas as gerações.
Amém.
(Lu Barros)
(homenagem a Virgem Maria, hoje 8 de dezembro dia consagrado a Nossa Senhora da Conceição)

dezembro 05, 2009

Simplesmente mulher!



"Uma mulher é linda quando mostra sua alma,
quando seu olhar transmite tudo o que verdadeiramente é.
Uma mulher é linda quando faz valer sua singularidade
apenas se permite ser uma Maria entre outras Marias.
Uma mulher é linda ao dormir,
despida de suas vestes, das cores que pintam seu rosto,
solta em sonhos que acalantam e embalam
seus melhores e mais intensos desejos.
Uma mulher é linda enquanto fêmea,
envolvida em lençóis de seda vermelha
entre pétalas e rosas,
pele perfumada com o mais puro jasmim,
a espera do seu amado.
Uma mulher é linda quando carrega em si a maternidade,
luz interior que transborda sublime,
carinhosamente.
Uma mulher é linda quando sua voz é ouvida nas grandes pláteias de teatro,
na TV,
nas cátedras das universidades,
nos plenários politícos,
nos júris,
salvando vidas,
educando no lar e nas escolas,
exercendo múltiplas profissões.
Uma mulher é linda quando volta seu olhar ao mundo interior,
deixando-se inundar de amor com o Pai,
encontro oblativo de mente e espírito com seu Criador.
Ser... simplesmente !"

Lu Barros

dezembro 04, 2009

O tempo é as jabuticabas

Contei meus anos e descobri que terei menos tempo para viver daqui para frente
do que já vivi até agora.
Sinto-me como aquela menina que ganhou uma bacia de jabuticabas.
As primeiras, ela chupou displicente, mas percebendo que faltam poucas, rói o caroço.
Já não tenho tempo para lidar com mediocridades.
Não quero estar em reuniões onde desfilam egos inflados.
Não tolero gabolices.
Inquieto-me com invejosos tentando destruir quem eles admiram,
cobiçando seus lugares,
talentos e sorte.
Já não tenho tempo para projetos megalomaníacos.
Não participarei de conferências que estabelecem prazos fixos
para reverter a miséria do mundo.
Não quero que me convidem para eventos de um fim de semana
com a proposta de abalar o milênio.
Já não tenho tempo para reuniões intermináveis
para discutir estatutos,
normas, procedimentos e regimentos internos.
Já não tenho tempo para administrar melindres de pessoas,
que apesar da idade cronológica, são imaturos.
Não quero ver os ponteiros do relógio avançando em reuniões de 'confrontação',
onde 'tiramos fatos a limpo'.
Detesto fazer acareação de desafetos que brigaram pelo majestoso cargo de secretário geral do coral.
Lembrei-me agora de Mário de Andrade que afirmou: 'as pessoasnão debatem conteúdos, apenas os rótulos'.
Meu tempo tornou-se escasso para debater rótulos,
quero a essência,
minha alma tem pressa...
Sem muitas jabuticabas na bacia,
quero viver ao lado de gente humana,
muito humana;
que sabe rir de seus tropeços,
não se encanta com triunfos,
não se considera eleita antes da hora, não foge de sua mortalidade,
defende a dignidade dos marginalizados,
e deseja tão somente andar ao lado do que é justo.
Caminhar perto de coisas e pessoas de verdade,
desfrutar desseamor absolutamente sem fraudes,
nunca será perda de tempo.
"O essencial faz a vida valer a pena".
Rubens Alves

dezembro 03, 2009

"Aqui está minha vida.
Esta areia tão clara com desenhos de andar
dedicados ao vento.
Aqui está minha voz,
esta concha vazia,
sombra de som curtindo seu próprio lamento
Aqui está minha dor,
este coral quebrado,
sobrevivendo ao seu patético momento.
Aqui está minha herança,
este mar solitário
que de um lado era amor e, de outro,
esquecimento."
(Cecília Meireles)
"Sou um ser contido no mundo e tenho o mundo contido em mim"
Carolina Salsides

dezembro 01, 2009

Devaneio


Eu escrevo,
pelo dom de existir.
E, por viver, ter alma pra sentir.
Eu escrevo
não porque apenas sinto.
Mas pela mágica fogosa do instinto.
Eu escrevo,
não por força da magia.
Mas por ser, mais que poeta, poesia.
Kátia Drummond
The Travelling Poet

numa fotografia



Não sejas como a névoa, nem quimera.
Demora-te,
demora-te assim:
faz do olhar
tempo sem tempo,
espaço
limpo
– do deserto ou do mar.

EUGÊNIO DE ANDRADE

Outonos e primaveras...



Outonos e primaveras...
A arte das sementes de morrer em silêncio
Primavera é tempo de ressurreição.

A vida cumpre o ofício de florescer ao seu tempo.

O que hoje está revestido de cores precisou passar pelo silêncio das sombras.

A vida não é por acaso.

Ela é fruto do processo que a encaminha sem pressa e sem atropelos a um destino que não finda, porque é ciclo que a faz continuar em insondáveis movimentos de vida e morte.

O florido sobre a terra não é acontecimento sem precedências.

Antes da flor, a morte da semente, o suspiro dissonante de quem se desprende do que é para ser revestido de outras grandezas.

O que hoje vejo e reconheço belo é apenas uma parte do processo. O que eu não pude ver é o que sustenta a beleza.
A arte de morrer em silêncio é atributo que pertence às sementes.

A dureza do chão não permite que os nossos olhos alcancem o acontecimento.

Antes de ser flor, a primavera é chão escuro de sombras, vida se entregando ao dialético movimento de uma morte anunciada, cumprida em partes.
A primavera só pode ser o que é porque o outono a embalou em seus braços.

Outono é o tempo em que as sementes deitam sobre a terra seus destinos de fecundidade.

É o tempo em que à morte se entregam, esperançosas de ressurreição.

Outono é a maternidade das floradas, dos cantos das cigarras e dos assovios dos ventos.

Outono é a preparação das aquarelas, dos trabalhos silenciosos que não causam alardes, mas, que, mais tarde, serão fundamentais para o sustento da beleza que há de vir.
São as estações do tempo.

São as estações da vida.
Há em nossos dias uma infinidade de cenas que podemos reconhecer a partir da mística dos outonos e das primaveras.

Também nós cumprimos em nossa carne humana os mesmos destinos.

Destino de morrer em pequenas partes, mediante sacrifícios que nos fazem abraçar o silêncio das sombras...

Destino de florescer costurados em cores,

alçados por alegrias que nos caem do céu, quando menos esperadas, anunciando que, depois de outonos,

a vida sempre nos reserva primaveras...


Pe.Fábio de Melo

novembro 25, 2009

"... Minha alma não é imaterial, ela é do mais delicado material de coisa. Ela é coisa, só não consigo consubstanciá-la em grossura visível.
Ah! Meu amor, as coisas da alma são muito delicadas. A gente pisa nelas com uma pata humana demais..."
(Clarice Linspector)

Sobre Ser...

Era tudo doce, feito o algodão da infância.

Era tudo tão intenso, tão pálido, pequeno, quente.

E o frio, não havia.

Não era um, eram dois, um dia quem sabe três, quatro, ou cinco com o cachorro.

Eram sorrisos, era poesia, música, fragância.

Era acordar num domingo de sol, abrir a janela e ver o mar.

Era sorvete de limão em um dia quente de não se acabar mais.

Eram filmes e mais filmes, e um edredon.

Pés em meia, mãos dadas, sorrisos.

Era amor, eram amor.

Sorriam.

Eram saudade, dessas de não caber no peito.

Era festa, quando se viam.

Eram dias nublados, que se ensolaravam com apenas um sorriso.

Era café quentinho, daquele de paçoca, na beira do rio.

Eram fotografias, retratos em preto e branco, e coloridos de alegria.

Era vontade, de inexistir, olhando o céu cair, sobre si, e não sentir.

Era não se importar, não se enraivecer.

Eram verdades ditas ao telefone, e abraços trocados depois.

Era o tudo e o nada, o talvez e o também.

Era o conforto, o carinho, de saber que se tem alguém, para dividir a vida.

Era uma vida inteira, pra dois [e depois três, quatro ou cinco com o cachorro].

Era a vontade, de ser.

E foram, não sei por quanto tempo.

Amor.

(LUA DURAND)

O Amor


Quando encontrar alguém e esse alguém fizer seu coração parar de funcionar por alguns segundos, preste atenção.

Pode ser a pessoa mais importante da sua vida.

Se os olhares se cruzarem e neste momento houver o mesmo brilho intenso entre eles, fique alerta: pode ser a pessoa que você está esperando desde o dia em que nasceu.

Se o toque dos lábios for intenso, se o beijo for apaixonante e os olhos encherem d'água neste momento, perceba: existe algo mágico entre vocês.

Se o primeiro e o último pensamento do dia for essa pessoa, se a vontade de ficar juntos chegar a apertar o coração, agradeça: Deus te mandou um presente divino: o amor.

Se um dia tiver que pedir perdão um ao outro por algum motivo e em troca receber um abraço, um sorriso, um afago nos cabelos e os gestos valerem mais que mil palavras, entregue-se: vocês foram feitos um pro outro.

Se por algum motivo você estiver triste, se a vida te deu uma rasteira e a outra pessoa sofrer o seu sofrimento, chorar as suas lágrimas e enxugá-las com ternura, que coisa maravilhosa: você poderá contar com ela em qualquer momento de sua vida.

Se você conseguir em pensamento sentir o cheiro da pessoa como se ela estivesse ali do seu lado...

se você achar a pessoa maravilhosamente linda, mesmo ela estando de pijamas velhos, chinelos de dedo e cabelos emaranhados...

Se você não consegue trabalhar direito o dia todo, ansioso pelo encontro que está marcado para a noite...

se você não consegue imaginar, de maneira nenhuma, um futuro sem a pessoa ao seu lado... Se você tiver a certeza que vai ver a pessoa envelhecendo e, mesmo assim, tiver a convicção que vai continuar sendo louco por ela...

se você preferir morrer antes de ver a outra partindo: é o amor que chegou na sua vida.

É uma dádiva.

Muitas pessoas apaixonam-se muitas vezes na vida, mas poucas amam ou encontram um amor verdadeiro.

Ou às vezes encontram e por não prestarem atenção nesses sinais, deixam o amor passar, sem deixá-lo acontecer verdadeiramente.

É o livre-arbítrio.

Por isso preste atenção nos sinais, não deixe que as loucuras do dia a dia o deixem cego para a melhor coisa da vida:

o amor.

(Carlos Drummond de Andrade)

novembro 23, 2009

Pacto com a felicidade


Terei sempre em mente que um minuto passado, não volta mais,

vou viver todos os minutos proveitosamente

não vou sofrer por antecipação prevendo futuros incertos,

nem com atraso,

lembrando de coisas sobre as quais não tenho mais ação.

Não vou pensar no que não tenho e que gostaria de ter,

mas em como posso ser feliz com o que possuo.

E o maior bem que possuo é a própria vida!!!

Vou lembrar de ler uma poesia e de ouvir uma canção,

vou dedicá-las a alguém.

Vou fazer alguma coisa para alguém,

sem esperar nada em troca,

apenas pelo prazer de ver alguém sorrir.

Vou lembrar que existe alguém que me quer bem.

Vou dedicar uns minutos de pensamento para os que já se foram

para que saibam que serão sempre uma doce lembrança,

até que venhamos a nos encontrar outra vez.

Vou procurar dar um pouco de alegria para alguém,

especialmente quando sentir que a tristeza e o desânimo querem se aproximar.

E quando a noite chegar,

vou olhar para o céu,

para as estrelas e para o luar e Agradecer a Deus,

porque Hoje

Eu Sou FELIZ!!!!!!!!

(autoria desconhecida)

novembro 19, 2009



Eu poetizo a vida, sem fronteiras.

Faço da vida um sonho delirante!

Qual animal lendário, em plena cria, dou luz na noite ao espírito da lua.

E viro o sol ardente, em pleno dia.

Apaixonada, eu adormeço nua.

Como um manancial de energia, transmuto a alma em fonte de poesia...

(Katia Drummond)

novembro 15, 2009

Se viesses comigo


Se viesses comigo te banharia
nas águas puras e cristalinas das pias batismais.
Teus cabelos negros
lavaria em água perfumada de alecrim.
Nas mãos, óleo de jasmim a deslizar teu corpo,
para depois envolver-te com o manto das divindades sagradas.
Tua fome saciaria com finas e raras iguarias e te ofertaria vinho,o mais inebriante.
Ornada de grinalda, flores e vestes de luz
caminharia ao teu lado sob jaspes e pétalas.
Na noite escura, à luz das estrelas,
qual loba faminta te devoraria, louca, insana e voraz.
Penetrando a madrugada abriríamos o universo a desvendar todos os mistérios...
tal qual estrelas,indeléveis,soltas e fugazes.

(Lu Barros)

novembro 09, 2009

Para ser feliz



Não te descuide da hora livre;

da conversa banal;

da amizade de ocasião;

da distração vaga;

do pensamento solto;

do olhar displicente;

da emoção livre;

da relação informal.
Para que depois não te assalte o ócio;

não te martirize o tédio:não te aflija o remorso;

não te fira a solidão;

não te surpreenda o desprezo;

te domine o vício;

não te curve o fracasso;

não se desfaça a alegria.
André Luiz

novembro 04, 2009

Recado as mulheres.



A mulher carrega em si o dom de ser como Deus em pequenas medidas.

Jesus ficou nove meses no ventre, foi amamentado, amado por Maria, foi humano.

A Santíssima Virgem passou por muitos desafios naquela época, mas resistiu.

Nossa Senhora precisou ter os olhos fixos em Deus para ser fiel à missão dada a Ela.


Mulher, se você olhar para você,

para a potência que você tem de alimentar e conduzir uma casa,

se você se espelhar em Maria,

sendo fiel às coisas simples e tendo os olhos fixos em Jesus,

tudo será diferente.


Há em você, mulher, uma sacralidade que dia após dia você precisa reconhecer.

Mulheres, não negligenciem o dom de sua feminilidade!

A mulher tem poder de costurar o mundo,

assim como no passado entrelaçavam as linhas,

faziam tudo que era artesanal.


Você precisa ser artesã para "costurar" o mundo.

Quando temos um problema com o pai, tudo continua em pé,

mas se a mãe se entrega, dificilmente o lar fica em pé.


A mulher é capaz de suportar um pouco mais que a gente.

As mulheres mensalmente sentem dor, sangram (ciclo menstrual).

Se fosse eu quem sangrasse,

todos os meses iria ao hospital.

Tenho pavor de sangue!


Mulher, aquilo que você tem é dom de Deus para você ser igual a Virgem Maria.

Maria honrou a sua missão de educar o Filho de Deus.

Ela foi pedagoga.

Se Jesus foi capaz de subir ao calvário, foi porque

Ela O educou para ser corajoso.


A Santíssima Virgem não foi uma mãe histérica. Até mesmo na hora do seu Filho morrer, Ela estava presente com um olhar discreto.


'A mulher carrega em si o dom de ser como Deus em pequenas medidas.'


A mulher tem a sensibilidade. É mulher de aço, é mulher de flor.

Não podemos anunciar Jesus só pela justiça, mas pela misericórdia.

Só paramos em pé se estamos em equilíbrio. Onde está o seu equilíbrio, mulher?

Não seja relaxada!

Mãe, seja o equilíbrio, seja mãe de um jeito certo, seja esposa com os dois pés, equilibrada - nem na omissão nem querendo mandar em tudo.

Seu marido não pode ser empecilho para você subir ao céu.

Não substitua a leveza de Maria, a leveza de mulher.

Não permita que este modelo de mulher da sociedade a influencie.

Que seu modelo seja d'Aquela que subiu ao céu.

E você, homem, marido, segure na mão desta mulher,

porque se ela subir você sobe junto.

Pe fábio de Melo

princípios éticos e morais, Mt 5: 1- 11


Bem-aventurados os pobres de espírito, porque deles é o reino dos céus;
Bem-aventurados os que choram, porque eles serão consolados;
Bem-aventurados os mansos, porque eles herdarão a terra;
Bem-aventurados os que têm fome e sede de justiça, porque eles serão fartos;
Bem-aventurados os misericordiosos, porque eles alcançarão misericórdia;
Bem-aventurados os limpos de coração, porque eles verão a Deus;
Bem-aventurados os pacificadores, porque eles serão chamados filhos de Deus;
Bem-aventurados os que sofrem perseguição por causa da justiça, porque deles é o reino dos céus;
Bem-aventurados sois vós, quando vos injuriarem e perseguirem e, mentindo, disserem todo o mal contra vós por minha causa.
Mt 5: 1- 11

novembro 03, 2009

Reverência ao destino, por Drummond


Falar é completamente fácil, quando se tem palavras em mente que expressem sua opinião.
Difícil é expressar por gestos e atitudes o que realmente queremos dizer, o quanto queremos dizer, antes que a pessoa se vá.

Fácil é julgar pessoas que estão sendo expostas pelas circunstâncias.
Difícil é encontrar e refletir sobre os seus erros, ou tentar fazer diferente algo que já fez muito errado.

Fácil é ser colega, fazer companhia a alguém, dizer o que ele deseja ouvir.
Difícil é ser amigo para todas as horas e dizer sempre a verdade quando for preciso. E com confiança no que diz.

Fácil é analisar a situação alheia e poder aconselhar sobre esta situação.
Difícil é vivenciar esta situação e saber o que fazer. Ou ter coragem pra fazer.

Fácil é demonstrar raiva e impaciência quando algo o deixa irritado.
Difícil é expressar o seu amor a alguém que realmente te conhece, te respeita e te entende. E é assim que perdemos pessoas especiais.

Fácil é mentir aos quatro ventos o que tentamos camuflar.
Difícil é mentir para o nosso coração.

Fácil é ver o que queremos enxergar.
Difícil é saber que nos iludimos com o que achávamos ter visto. Admitir que nos deixamos levar, mais uma vez, isso é difícil.

Fácil é dizer "oi" ou "como vai?"
Difícil é dizer "adeus". Principalmente quando somos culpados pela partida de alguém de nossas vidas...

Fácil é abraçar, apertar as mãos, beijar de olhos fechados.
Difícil é sentir a energia que é transmitida. Aquela que toma conta do corpo como uma corrente elétrica quando tocamos a pessoa certa.

Fácil é querer ser amado.
Difícil é amar completamente só. Amar de verdade, sem ter medo de viver, sem ter medo do depois. Amar e se entregar. E aprender a dar valor somente a quem te ama.

Fácil é ouvir a música que toca.
Difícil é ouvir a sua consciência. Acenando o tempo todo, mostrando nossas escolhas erradas.

Fácil é ditar regras.
Difícil é seguí-las. Ter a noção exata de nossas próprias vidas, ao invés de ter noção das vidas dos outros.

Fácil é perguntar o que deseja saber.
Difícil é estar preparado para escutar esta resposta. Ou querer entender a resposta.
Fácil é chorar ou sorrir quando der vontade.
Difícil é sorrir com vontade de chorar ou chorar de rir, de alegria.

Fácil é dar um beijo.
Difícil é entregar a alma. Sinceramente, por inteiro.

Fácil é sair com várias pessoas ao longo da vida.
Difícil é entender que pouquíssimas delas vão te aceitar como você é e te fazer feliz por inteiro.

Fácil é ocupar um lugar na caderneta telefônica.
Difícil é ocupar o coração de alguém. Saber que se é realmente amado.

Fácil é sonhar todas as noites.
Difícil é lutar por um sonho.

Eterno, é tudo aquilo que dura uma fração de segundo, mas com tamanha intensidade, que se petrifica, e nenhuma força jamais o resgata.