Seguidores

dezembro 17, 2009

Retrato

Mente confusa
neblina a visão que se turva
Perdi a noção do tempo
Já não posso tocar
só sentir
Penso nos dias de verão
nas noites de lua
Penso no que foi bom e no instante que se foi
Desejos diferentes
caminhos desiguais
nada importa
Nem mesmo o minuto a seguir
Tudo é pouco
Tudo é nada
O minuto indefinido
ficam as marcas tatuadas no corpo
Promessas inscritas
Agora sem sentido
perdidas na peça inacabada
na cortina que se fecha
Fio da navalha que corta
rasga o coração
sangra
lágrimas escondidas
insistem em lavar o rosto
recôndito de um instante triste
Retrato do que passou.
Lu Barros

Um comentário:

Nívea disse...

o coração sangra e as lágrimas são escondidas...

tem dias que são assim mesmo.

muito bom gosto!

beijos,
Nii