Seguidores

março 23, 2011


"Não se esqueça do que aconteceu com o homem que conseguiu tudo que sonhou
- o que?
foi feliz para sempre"

março 21, 2011


Todos os dias
Deus nos dá um momento
em que é possível mudar tudo que nos deixa infelizes.
O instante mágico é o momento
em que um 'sim' ou um 'não'
pode mudar
toda a nossa existência.
Paulo Coelho

O inacabado que há em mim

"Eu me experimento inacabado.
Da obra, o rascunho.
Do gesto, o que não termina.
Sou como o rio em processo de vir a ser.
A confluência de outras águas e o encontro com filhos de outras nascentes o tornam outro.
O rio é a mistura de pequenos encontros.
Eu sou feito de águas, muitas águas.
Também recebo afluentes e com eles me transformo,
O que sai de mim cada vez que amo?
O que em mim acontece quando me deparo com a dor que não é minha, mas que pela força do olhar que me fita vem morar em mim?
Eu me transformo em outros?
Eu vivo para saber.
O que do outro recebo leva tempo para ser decifrado.
O que sei é que a vida me afeta com seu poder de vivência.
Empurra-me para reações inusitadas, tão cheias de sentidos ocultos.
Cultivo em mim o acúmulo de muitos mundos.
Por vezes o cansaço me faz querer parar.
Sensação de que já vivi mais do que meu coração suporta.
Os encontros são muitos; as pessoas também.
As chegadas e partidas se misturam e confundem o coração.
É nesta hora em que me pego alimentando sonhos de cotidianos estreitos, previsíveis.
Mas quando me enxergo na perspectiva de selar o passaporte e cancelar as saídas, eis que me aproximo de uma tristeza infértil.
Melhor mesmo é continuar na esperança de confluências futuras.
Viver para sorver os novos rios que virão.
Eu sou inacabado.
Preciso continuar.
Se a mim for concedido o direito de pausas repositoras, então já anuncio que eu continuo na vida. A trama de minha criatividade depende deste contraste, deste inacabado que há em mim.
Um dia sou multidão; no outro sou solidão.
Não quero ser multidão todo dia.
Num dia experimento o frescor da amizade;
no outro a febre que me faz querer ser só.
Eu sou assim.
Sem culpas."
- Padre Fabio de Melo

março 20, 2011


Não desças os degraus do sonho
Para não despertar os monstros.
Não subas aos sótãos - onde
Os deuses, por trás das suas máscaras,
Ocultam o próprio enigma.
Não desças, não subas, fica.
O mistério está é na tua vida!
E é um sonho louco este nosso mundo...

Mario Quintana

março 18, 2011



Ternura é quando alguém nos olha

e os olhos brilham

como estrêlas.

Cida






"Na busca por mim,
descobri a verdade.
Na busca pela verdade,

descobri o amor.

Na busca pelo amor,
descobri Deus.
E em Deus,
tenho encontrado tudo."

Sou da PAZ!
Sou pela Paz!


"O que somos é o presente de Deus para nós.
O que nos tornamos é nosso presente para Deus.
Eleonor Powell



Eu gostaria de lhe agradecer
pelas inúmeras vezes
que você me enxergou melhor
do que eu sou.

Pela sua capacidade de me olhar devagar,
já que nessa vida muita gente
me olhou depressa demais...

( Pe. Fábio de Melo )

Gente, Pe Fábio não é demais...
considero ele um ser humano incrível! sou fãzona!


A mulher tem que ser como a palha miúda
com que se encaixotam porcelanas finas.
Palha que não conta,
palha que não se vê,
palha que ninguém se apercebe,
e sem a qual tudo
se quebraria.

( Madame de Stael )

Amigos,

há um tempo postei esse texto de Raquel de Queiróz - "A arte de ser avó" aqui no blog, agora publico novamente. "Raquel" de forma sábia traz a figura do "ser avó" como realmente é, adoro esse texto!

Como vou ser avó pela segunda vez, agora de uma menininha, deixo aqui essa homenagem a todas as avós e as futuras, com o desejo que sintam como eu o gostinho de chocolate, de balinhas de coco ou de algodão doce, ainda asinhas de borboletas na barriga, pelo simples fato de "ser avó".Lu Barros

"A arte de ser avó"

"Quarenta anos, quarenta e cinco. Você sente, obscuramente, nos seus ossos, que o tempo passou mais depressa do que esperava. Não lhe incomoda envelhecer, é claro. A velhice tem suas alegrias, as sua compensações - todos dizem isso, embora você pessoalmente, ainda não as tenha descoberto - mas acredita.

Todavia, também obscuramente, também sentida nos seus ossos, às vezes lhe dá aquela nostalgia da mocidade.

Não de amores nem de paixão; a doçura da meia-idade não lhe exige essas efervescências. A saudade é de alguma coisa que você tinha e lhe fugiu sutilmente junto com a mocidade. Bracinhos de criança no seu pescoço. Choro de criança. O tumulto da presença infantil ao seu redor. Meu Deus, para onde foram as suas crianças? Naqueles adultos cheios de problemas, que hoje são seus filhos, que têm sogro e sogra, cônjuge, emprego, apartamento e prestações, você não encontra de modo algum as suas crianças perdidas. São homens e mulheres - não são mais aqueles que você recorda.

E então, um belo dia, sem que lhe fosse imposta nenhuma das agonias da gestação ou do parto, o doutor lhe põe nos braços um menino. Completamente grátis - nisso é que está a maravilha. Sem dores, sem choro, aquela criancinha da sua raça, da qual você morria de saudades, símbolo ou penhor da mocidade perdida. Pois aquela criancinha, longe de ser um estranho, é um menino que se lhe é "devolvido". E o espantoso é que todos lhe reconhecem o seu direito sobre ele, ou pelo menos o seu direito de o amar com extravagância; ao contrário, causaria escândalo ou decepção, se você não o acolhesse imediatamente com todo aquele amor que há anos se acumulava, desdenhado, no seu coração.

Sim, tenho a certeza de que a vida nos dá os netos para nos compensar de todas as mutilações trazidas pela velhice. São amores novos, profundos e felizes, que vêm ocupar aquele lugar vazio, nostálgico, deixado pelos arroubos juvenis.

Aliás, desconfio muito de que netos são melhores que namorados, pois que as violências da mocidade produzem mais lágrimas do que enlevos. Se o Doutor Fausto fosse avô, trocaria calmamente dez Margaridas por um neto...

No entanto! Nem tudo são flores no caminho da avó. Há, acima de tudo, o entrave maior, a grande rival: a mãe. Não importa que ela, em si, seja sua filha. Não deixa por isso de ser a mãe do neto. Não importa que ela hipocritamente, ensine a criança a lhe dar beijos e a lhe chamar de "vovozinha" e lhe conte que de noite, às vezes, ele de repente acorda e pergunta por você. São lisonjas, nada mais. No fundo ela é rival mesmo. Rigorosamente, nas suas posições respectivas, a mãe e a avó representam, em relação ao neto, papéis muito semelhantes ao da esposa e da amante nos triângulos conjugais. A mãe tem todas as vantagens da domesticidade e da presença constante. Dorme com ele, dá-lhe banho, veste-o, embala-o de noite. Contra si tem a fadiga da rotina, a obrigação de educar e o ônus de castigar.

Já a avó não tem direitos legais, mas oferece a sedução do romance e do imprevisto. Mora em outra casa. Traz presentes. Faz coisas não programadas. Leva a passear, "não ralha nunca". Deixa lambuzar de pirulito. Não tem a menor pretensão pedagógica. É a confidente das horas de ressentimento, o último recurso dos momentos de opressão, a secreta aliada nas crises de rebeldia. Uma noite passada em sua casa é uma deliciosa fuga à rotina, tem todos os encantos de uma aventura. Lá não há linha divisória entre o proibido e o permitido, antes uma maravilhosa subversão da disciplina. Dormir sem lavar as mãos, recusar a sopa e comer croquetes, tomar café, mexer na louça, fazer trem com as cadeiras na sala, destruir revistas, derramar água no gato, acender e apagar a luz elétrica mil vezes se quiser - e até fingir que está discando o telefone. Riscar a parede com lápis dizendo que foi sem querer - e ser acreditado!

Fazer má-criação aos gritos e em vez de apanhar ir para os braços do avô, e lá escutar os debates sobre os perigos e os erros da educação moderna...

Sabe-se que, no reino dos céus, o cristão defunto desfruta os mais requintados prazeres da alma. Porém não estarão muito acima da alegria de sair de mãos dadas com o seu neto, numa manhã de sol. E olhe que aqui embaixo você ainda tem o direito de sentir orgulho, que aos bem-aventurados será defeso. Meu Deus, o olhar das outras avós com seus filhotes magricelas ou obesos, a morrerem de inveja do seu maravilhoso neto!

E quando você vai embalar o neto e ele, tonto de sono, abre um olho, lhe reconhece, sorri e diz "Vó", seu coração estala de felicidade, como pão ao forno.

E o misterioso entendimento que há entre avó e neto, na hora em que a mãe castiga, e ele olha para você, sabendo que, se você não ousa intervir abertamente, pelo menos lhe dá sua incondicional cumplicidade.

Até as coisas negativas se viram em alegrias quando se intrometem entre avó e neto: o bibelô de estimação que se quebrou porque o menino - involuntariamente! - bateu com a bola nele. Está quebrado e remendado, mas enriquecido com preciosas recordações: os cacos na mãozinha, os olhos arregalados, o beicinho pronto para o choro; e depois o sorriso malandro e aliviado porque "ninguém" se zangou, o culpado foi a bola mesma, não foi, vó? Era um simples boneco que custou caro. Hoje é relíquia: não tem dinheiro que pague".

Rachel de Queiroz

março 15, 2011


"Toda mulher tem no seu íntimo uma magia própria de fazer acontecer,
de dar um jeito,
de dar o peito,
dar um colo,
de fazer bem feito".
Carolina Salcides


Deus só dá três respostas para a oração:


1. "Sim! "

2. 'Ainda não'.

3. "Eu tenho algo melhor em mente"
(do Meme de Danny Fama)



'Primavera para o meu olhar.'
(Ana Jácomo)

Meu coração pulsa sempre em nome da alegria.
Tenho noventa mil quilômetros de vasos sanguíneos repletos de flores...
Sou movido a emoções.
Vivo saltando profundo,
toda hora,
todo segundo...
(Edson Marques)

Deus é como o amor...
sinta-O.

Olinda



Sítio Histórico de Olinda

Um dos mais importantes conjuntos arquitetônicos do país, Olinda recebeu o título de Patrimônio Cultural da Humanidade, concedido pela Unesco, e de primeira capital brasileira da cultura. É palco de uma das festas mais populares do Brasil: o Carnaval.

JC online

Aniversário de Recife e Olinda

Recife, minha linda cidade.







A primeira vocação do Recife veio do mar. Quando a cidade surgiu, 474 anos atrás, era uma vila de Olinda, onde ficava o porto. Eram tempos de uma doce riqueza patrocinada pela cana-de-açúcar. Mas a cidade também viveu dias amargos: o centro histórico do Recife que enfrentou a decadência e conseguiu a façanha de se reinventar.

O Recife aponta para o futuro, enquanto Olinda preserva o passado. São duas cidades mais do que vizinhas: irmãs que se completam. Hoje, quase cinco séculos depois, o Recife tem quatro vezes mais a população da cidade histórica. As cidades estão unidas para sempre pela história e têm o mesmo dia de aniversário para comemorar: 12 de março.

No antigo porto de açúcar da atual capital está ancorado um dos principais polos de tecnologia da informação do país. "Nós estamos falando de um parque que tem 171 empresas e organizações, com mais de 6,5 mil pessoas trabalhando no local, dos quais, aproximadamente 500 são empreendedores. É algo que tem um faturamento em torno de R$ 700 milhões, valor estimado para 2010", revela o presidente do Porto Digital, Francisco Sabóia.

Os profissionais chegam de toda parte, atraídos pelo conhecimento gerado no local. Um grupo de onze angolanos veio em missão oficial para aprender e depois divulgar a tecnologia no país africano. “Nós fazemos parte de uma equipe do governo de Angola e queremos ganhar conhecimento para desenvolver software para o governo do país”, conta Alcides Cabral, gerente de projetos.

A união de universidades, empresas privadas e poder público deu suporte para que o Porto Digital se transformasse em um parque tecnológico de classe mundial, com investimentos de R$ 90 milhões.“A tecnologia no Porto Digital não tem limites. A gente pode desenvolver o que a gente imaginar. É um porto que se compara com os melhores portos tecnológicos do mundo”, afirma o gerente de projetos do Cesar Rogério Bronsztein.

Já em Olinda, o colorido intenso dos casarões e as fachadas preservadas por lei são um patrimônio de toda a humanidade. A beleza é fonte de inspiração permanente. Artistas plásticos, como a aquarelista Guita Charifker, se mudaram com pincéis e tintas para Olinda. “A cidade é muito inspiradora. Isso é muito bom para os artistas, a gente se sente em casa. Uma casa muito especial”, afirma a artista.

Olinda enche não só os olhos. É inspiração também para os músicos. Várias bandas escolheram esse endereço para compor e cantar. No dia do aniversário da cidade, eles se juntaram para fazer uma homenagem. “Olinda é uma cidade que pulsa, que fervilha arte, fervilha um monte de cultura e enquanto você está andando, está se inspirando”, orgulha-se Tiago de Zeca Andrade, cabeça do grupo Zé Cafofinho e Suas Correntes.

“Olinda é cheia de cultura. Você acorda escutando música e dorme escutando música. Isto é uma coisa muito inspiradora”, falou o música da Orquestra Contemporânea de Olinda. Ivan do Espírito Santo, outro música da Orquestra vai além. “Acho que é uma das jóias da coroa brasileira, da cultura”.
(Publicado no pe360graus.com, em 12/03/2011)

março 14, 2011

stars. Pictures, Images and Photos
Entre a minha casa e a tua,
Há uma ponte de estrelas.
Mário Quintana


O AMOR ME MOVE:
SÓ POR ELE EU FALO
[Dante Alighieri]

"Não importa o que agente faça.
Vai amanhecer"
vanluchiari
HEARTS Pictures, Images and Photos
Meu coração...
O teu tapete vermelho...
M.M Soriano

conselho


não adianta, moça,
ficar assim tão cabisbaixa,
cultivar pensamentos tão esquisitos,
cada hora uma dor
e uma culpa e um medo;
a vida são mesmo esses conflitos.
deixe o ego e o drama de lado,
não estacione nas caretas.
o mundo é dos elefantes
e das borboletas.
Karina Rabinovitz

Aparências


nada é mesmo
o que parece ser.

- o mar -
de longe: azul
de perto: verde
por dentro: transparente.

aparências:
na superfície, tudo é diferente
do que realmente é.

o segredo pra não julgar?
- em vez de olhar o mar de longe,
mergulhar!
Karina Rabinovitz

o que me guia


ao dirigir pela cidade
sempre viro o espelho lateral retrovisor
pras nuvens do final de tarde.
Karina Rabinovitz

março 13, 2011


Não importa quanto vai durar - é infinito agora.

Se amanhã o que eu sonhei não for bem aquilo,
eu tiro um arco-íris da cartola.
E refaço.
Colo.
Pinto e bordo.
Porque a força de dentro é maior.
Maior que todo mal que existe no mundo.
Maior que todos os ventos contrários.
É maior porque é do bem.
E nisso, sim,
acredito até o fim.
Caio F. Abreu

Rosa de Saron e Eugênio Jorge - Só por ti Jesus (último show acustíco)

Só por ti Jesus


Só por Ti, Jesus, quero me consumir,
Como vela que queima no altar, me consumir de amor.
Só em Ti, Jesus, quero me derramar,
Como o rio se entrega ao mar, me derramar de amor.
Só por Ti, Jesus, quero me consumir,
Como vela que queima no altar, me consumir de amor.
Só em Ti, Jesus, quero me derramar,
Como o rio se entrega ao mar, me derramar de amor.
Pois Tu és o meu amparo, o meu refúgio, és alegria de minh'alma.
Só em Ti repousa a minha esperança, não vacilarei,
e mesmo na dor,
quero seguir até o fim.
Só por Ti, Jesus, só por Ti, Jesus.
Só por Ti, Jesus, quero me consumir,
Como vela que queima no altar, me consumir de amor.
Só em Ti, Jesus, quero me derramar,
Como o rio se entrega ao mar,
me derramar de amor.
Eugênio Jorge

março 05, 2011


" Quando todas as árvores tiverem caído,
quando todos os rios tiverem secado,
quando todos os peixes tiverem morrido...
Vocês vão descobrir que dinheiro não se come."

Greenpeace

março 04, 2011


No carnaval
vista as cores da alegria,
solte seu melhor grito,
dance o frevo,
cante o "balancê" da Gal,
brinque, pule, ame...
desçendo as ladeiras de Olinda
ao som de Alceu Valença,
sonhe, sonhe com a mais bonita fantasia.
Feliz Carnaval!
Lu Barros