Seguidores

dezembro 27, 2008

JÁ ESTAMOS QUASE NO FINAL DO ANO


E você continua aí do mesmo jeito,
andando pelas mesmas ruas,
girando as mesmas chaves
para abrir as mesmas portas?
Sentado nas mesma cadeiras cadeiras,
ao lado das mesmas mesas,
fazendo sempre as mesmas coisas?
Com os mesmos amigos,
os mesmos amores, a mesma visão de mundo?
Beijando as mesmas bocas,
tocando os mesmos corpos
com o mesmo jeito,
os mesmos toques e o mesmo estilo?
A mesma instável instabilidade?
Repetindo a mesma angustiante rotina?
Onde está aquele projeto de vida?
onde está a coragem de mudar, a coragem de criar?
onde aquele entusiasmo e aquela ousadia de outrora?
onde aquela gostosura tão buscada
Onde estão aqueles sonhos todos?
Reaja: a vida é uma aventura extraordinária
e existem milhares de caminhos possíveis!
Reaja!
(Edson Marques)

novembro 07, 2008

Um dia...



Um dia, não importa o dia, não importa o ano, nem mesmo a hora...
Um dia, os homens despertarão para a vida e descobrirão o verdadeiro sentido de viver.
Um dia, será possível o vizinho da frente ser amigo do vizinho do lado. Será possível o ser humano entender que ser humano é humano, não é máquina, ás vezes erra e por isso deverá ser perdoado. Será possível ver as pessoas sorrindo, saudando umas as outras.
Um dia será possível amar o sol, agradecer a chuva, repartir o pão.
Um dia, não importa quando, será possível visitar um doente sem que ele seja nosso parente. Será possível visitar orfanatos e cárceres. Será possível amar, sem procurar motivos para isso.
Um dia, será possível fazer elogios sinceros e recebê-los igualmente. Será possível se alegrar com a alegria do outro. E se sentir amado, dando amor ao outro. Nesse dia, muitos continuarão tendo o supérfluo e todos possuirão pelo menos, restritamente, o necessário.
Um dia, não importa o dia, valerão mais e mais ações e boas intenções, que puramente um gesto bonito.
Um dia, não haverá nenhum preconceito. Todo amor será permitido, toda luta valorizada. A vida deixará de ser um campo de batalha pela sobrevivência para se tornar um templo de amor. O homem de negócios terá tempo para pensar no próximo, o político encarará seu cargo como oportunidade de fazer algo a seu semelhante.
Um dia, não importa quando, os 365 dias do ano serão vividos como se fosse NATAL, com pessoas se confraternizando, desejando o bem comum, comemorando-os.
E o dia 25 de Dezembro será como o dia do nascimento de um menino que nos dá tanto, e que como presente daremos a ELE a alegria de nos ver vivendo como uma única e grande família, todos na perfeita união. E as luzes que se acendem em nossos corações se fundirão numa única LUZ, representando o imenso amor de Deus.

Um dia...

Quem sabe um dia..."
(autor desconhecido)

outubro 10, 2008

Pequenos gestos

É curioso observar como a vida nos oferece resposta aos mais variados questionamentos do cotidiano...
Vejamos:

A mais longa caminhada só é possível passo a passo...
O mais belo livro do mundo foi escrito letra por letra...
Os milênios se sucedem, segundo a segundo...
As mais violentas cachoeiras se formam de pequenas fontes...
A imponência do pinheiro e a beleza do ipê começaram ambas na simplicidade das sementes...
Não fosse a gota e não haveria chuvas...
O mais singelo ninho se fez de pequenos gravetos...
E a mais bela construção não se teria efetuado senão a partir do primeiro tijolo...
As imensas dunas se compõem de minúsculos grãos de areia...
Como já refere o adágio popular, nos menores frascos se guardam as melhores fragrâncias...
É quase incrível imaginar que apenas sete notas musicais tenham dado vida à "Ave Maria", de Bach, e à "Aleluia", de Hendel...
O brilhantismo de Einstein e a ternura de Tereza de Calcutá , tiveram que estagiar no período fetal...
Nem mesmo Jesus, expressão maior de Amor, dispensou a fragilidade do berço...
... Assim também o mundo de paz, de harmonia e de amor com que tanto sonhamos só será construído a partir de Pequenos Gestos de compreensão, solidariedade, respeito, ternura, fraternidade, benevolência, indulgência e perdão, dia a dia...
Ninguém pode mudar o mundo...
Mas podemos mudar uma pequena parcela dele...
Esta parcela nós chamamos de "Eu".
Não é fácil nem rápido...
Mas vale a pena tentar !
Vamos lá, não perca a oportunidade...
(autor desconhecido)

setembro 13, 2008

Pietá , Pe Fábio de Melo


Eu quero aprender com os acontecimentos. É um jeito de restituir a vida. É um jeito de consolar as mães e, quem sabe assim, ressuscitar os meninos.

A mulher parecia absorvida em sua dor. Trazia no rosto as marcas de um acontecimento que não combina com o tempo. Os dois anos já passados pareciam estacionados em seus olhos, como se a vida não pudesse mais realizar o seu processo natural de prosseguir. Há acontecimentos que não cabem no tempo. Uma dor não dura o mesmo tempo que o fato que a provoca. Ela vai além, muito além. A dor é uma extensão da vida.
O fato foi terrível. Aquela mulher encontrou o seu menino morto na piscina de sua casa. Teve também que retirá-lo das águas. Pegou-o ao colo, assim como tantas outras vezes. Aconchegou-o no peito, assim como nas noites em que o alimentava para que pudesse voltar a dormir tranqüilo. O amor é assim: é feito de madrugadas; feito de silêncios que atribuem sentidos; feito de olhares que contemplam os que amamos como continuidade do que somos. Aquela mulher sabia de tudo isso.
Ao retirar das águas o seu menino já sem vida, aquela mulher parecia cumprir no tempo o prolongamento da escultura de Michelangelo, Pietá (1498), a virgem que segura nos braços o seu filho morto. Pietá é a metáfora da dor materna que não tem nome. A morfologia de um sofrimento agudo que nos retira a fala e que nos dificulta as respostas.
Tive oportunidade de ouvir o seu relato. Contou-me com lágrimas teimosas o acontecido. O cenário era sugestivo. Estávamos à beira do rio Jordão, lugar onde Jesus foi batizado. Ela se aproximou e eu tive a graça de renovar o seu Batismo. Ao derramar água sobre a sua cabeça, foi inevitável o pensamento que me ocorreu. Um pensamento que de alguma forma já se estabelecia como prece. No meu coração, eu pedia a Deus que aquela mulher fosse capaz de retirar definitivamente o seu filho das águas. Pedi ao Senhor da vida que a ajudasse a sepultar o seu filho. Não o sepultamento do esquecimento, mas o que proporciona a ressurreição; aquele que nos dá coragem de olhar para a dor sem que ela nos sufoque.
Logo depois do gesto, enchi-me de coragem e recomendei-lhe com ternura: “Retire o seu menino das águas! Saia da beira da piscina e permita que a vida continue!”. Ela sorriu serena e disse que tentaria. Mais tarde, ela me pediu que escrevesse a frase dita. Eu escrevi. Mas resolvi escrever aqui também. Pode ser que essas palavras caiam nas mãos de pessoas que estejam com dificuldades de permitir o movimento da vida. Pode ser que hoje esse pequeno texto venha encontrar alguém que esteja paralisado pela dor, impossibilitado de prosseguir.
A virgem da piedade encontrou no filho a causa do seu prosseguimento. Pietá só é bela, porque conhecemos a sua continuidade. O filho ressurgiu. Aquele momento não é o definitivo. A dor é a ponte que a fez chegar ao lugar mais belo de seu coração. É a vida. E eu gostaria que não fosse assim. Que meninos não morressem antes da hora. Mas não posso mudar a ordem dos acontecimentos. O que posso é silenciar-me diante da cena e pedir que Deus nos encaminhe para o aprendizado que o acontecimento pode nos trazer.

fonte: revista Ir ao Povo

agosto 28, 2008

Sinto, por Lya Luft



Sinto-me um pouco intrusa vasculhando minha infância.
Não quero pertubar aquela menina no seu ofício de sonhar. (Lya Luft)

agosto 21, 2008

O poder das palavras, por Socorro Capiberibe



“As palavras tem um poder assustador...” – (Bess Sondel)
Brilhante afirmação de Bess Sondel !
É a mais pura verdade.
Palavras levantam ou derrubam.
Acalmam ou revoltam.
Acariciam ou ferem.
Harmonizam ou destroem.
Ora são pontes, ora são muralhas...
Às vezes, unem;
outras vezes, separam.
Palavras têm força. Peso. Poder.
Podem promover a paz ou podem provocar uma guerra.
Certamente já se ouviu falar de guerras que foram deflagradas, em conseqüência de algo que foi dito num momento impensado.
- Quem nunca experimentou situações de ódio, rancor, indiferença, paixão ou amor, despertadas por palavras proferidas no auge da exaltação?
Palavras têm ressonâncias eternas.
Têm conseqüências inesperadas e ás vezes irreparáveis.
Podem levar ao céu e podem impelir ao abismo.
E, uma vez proferidas, como retirá-las?
Como desfazer os estragos por elas provocados?
Há sempre a possibilidade de um pedido de perdão ou a tentativa de alguma explicação para minimizar o impacto causado.
Mas, como colar uma porcelana sem deixar as marcas da emenda?
Seria o mesmo que tratar das feridas e ignorar as cicatrizes.
Palavras exigem reflexão, cautela, serenidade...
Jamais a impulsividade.
A reflexão e o cuidado previnem estragos que podem ser evitados.
A impulsividade gera atritos e desentendimentos.
Palavras podem ser bênçãos ou sentenças...
Que as nossas palavras jamais sejam sentenças.
Que elas possam sempre ser bênçãos sussurradas por Deus em nossos ouvidos, para que tenham o poder da harmonia, da cura, do conforto, da fé, da esperança, do amor e da paz.

agosto 14, 2008

Amor é síntese, por Mário Quintana


Por favor não me analise,
Não fique procurando cada ponto fraco meu,
Se ninguém resiste a uma análise profunda,
Quanto mais eu
Ciumento, exigente, inseguro, carente,
Todo cheio de marcas que a vida deixou.
Vejo em cada grito de exigência
Um pedido de carência, um pedido de amor.
Amor é síntese,
É uma integração de dados,
Não há que tirar nem pôr.
Não me corte em fatias,
Ninguém consegue abraçar um pedaço,
Me envolva todo em seus braços
E eu serei perfeito, amor.


Amor, por Carlos Drummond de Andrade



Quando encontrar alguém e esse alguém fizer seu coração parar de funcionar por alguns segundos, preste atenção. Pode ser a pessoa mais importante da sua vida.

Se os olhares se cruzarem e neste momento houver o mesmo brilho intenso entre eles, fique alerta: pode ser a pessoa que você está esperando desde o dia em que nasceu.

Se o toque dos lábios for intenso, se o beijo for apaixonante e os olhos encherem d'água neste momento, perceba: existe algo mágico entre vocês.

Se o primeiro e o último pensamento do dia for essa pessoa, se a vontade de ficar juntos chegar a apertar o coração, agradeça: Deus te mandou um presente divino: o amor.

Se um dia tiver que pedir perdão um ao outro por algum motivo e em troca receber um abraço, um sorriso, um afago nos cabelos e os gestos valerem mais que mil palavras, entregue-se: vocês foram feitos um pro outro.

Se por algum motivo você estiver triste, se a vida te deu uma rasteira e a outra pessoa sofrer o seu sofrimento, chorar as suas lágrimas e enxugá-las com ternura, que coisa maravilhosa: você poderá contar com ela em qualquer momento de sua vida.

Se você conseguir em pensamento sentir o cheiro da pessoa como se ela estivesse ali do seu lado... se você achar a pessoa maravilhosamente linda, mesmo ela estando de pijamas velhos, chinelos de dedo e cabelos emaranhados...

Se você não consegue trabalhar direito o dia todo, ansioso pelo encontro que está marcado para a noite... se você não consegue imaginar, de maneira nenhuma, um futuro sem a pessoa ao seu lado...

Se você tiver a certeza que vai ver a pessoa envelhecendo e, mesmo assim, tiver a convicção que vai continuar sendo louco por ela... se você preferir morrer antes de ver a outra partindo: é o amor que chegou na sua vida. É uma dádiva.

Muitas pessoas apaixonam-se muitas vezes na vida, mas poucas amam ou encontram um amor verdadeiro. Ou às vezes encontram e por não prestarem atenção nesses sinais, deixam o amor passar, sem deixá-lo acontecer verdadeiramente.

É o livre-arbítrio. Por isso preste atenção nos sinais, não deixe que as loucuras do dia a dia o deixem cego para a melhor coisa da vida: o amor.

agosto 02, 2008

LAÇOS



Enrosca-se, mas não se embola, vira, revira, circula e pronto: está dado o laço.

É assim que é o abraço: coração com coração, tudo isso cercado de braço.

É assim que é o laço: um abraço no presente, no cabelo, no vestido,em qualquer coisa onde o faço.
E quando puxo uma ponta, o que é que acontece?Vai escorregando... devagarzinho, desmancha,
desfaz o abraço.

Solta o presente, o cabelo, fica solto no vestido.

E, na fita, que curioso, não faltou nem um pedaço.

Ah! Então, é assim o amor, a amizade.

Tudo que é sentimento.

Como um pedaço de fita.

Enrosca, segura um pouquinho,mas pode se desfazer a qualquer hora, deixando livre as duas bandas do laço.

Por isso é que se diz: laço afetivo, laço de amizade.

E quando alguém briga então se diz: romperam-se os laços.

E saem as duas partes, igual meus pedaços de fita, sem perder nenhum pedaço.

Então, o amor e a amizade são isso...

Não prendem, não escravizam, não apertam, não sufocam.

Porque quando vira nó, já deixou de ser um laço.


Mário Quintana

julho 26, 2008

Amigo


Quero ser teu amigo

Nem demais e nem de menos

Nem tão longe e nem tão perto

Na medida mais precisa que eu puder

Mas amar-te como próximo, sem medida,
E ficar sempre em tua vida
Da maneira mais discreta que eu souber

Sem tirar-te a liberdade

Sem jamais te sufocar

Sem forçar a tua vontade

Sem falar quando for a hora de calar

E sem calar quando for a hora de falar

Nem ausente nem presente por demais,
Simplesmente, calmamente, ser-te paz.
É bonito ser amigo,

Mas confesso,

É tão difícil aprender,

Por isso, eu te peço paciência

Vou encher este teu rosto
De alegrias, lembranças!

Dê-me tempo
De acertar nossas distâncias!
"Fernando Pessoa"

julho 24, 2008



Abra a janela, aquela que dá para o vôo dos pardais,
deixe o sol entrar
Sinta seu calor aquecendo seu peito
pense numa poesia,
cante uma canção
sorria para voce com toda a intensidade de que um sorriso é capaz.
Colha alguma flores coloridas,
as mais belas do jardim de seus pensamentos
chame a Esperança que deve estar batendo papo com sua fé
e comece seu dia dizendo e sentido que
A felicidade é o seu limite...
E o paraíso é você mesmo quem faz.
(autor desconhecido)

julho 21, 2008

Livre arbítrio



Dê uma chance ao inesperado.

Abrace forte a gostosura da surpresa.

Dance de olhos fechados à beira do abismo.

Abandone quem te oprime agora mesmo.

Desmonte as relações frias, autoritárias — na escola, na família ou no trabalho.

Ame a liberdade sobre todas as coisas.

Ame também o amor e a loucura — e sobretudo a paixão e o risco, o riso e a glória.

É mais ou menos isso o que eu quero te dizer hoje.

Mas não creia cegamente no que eu digo: também posso estar errado.

O que proponho é valioso demais para alguns, e pode não valer nada para outros.

Portanto, questione todas as convicções, todas as idéias, todas as propostas — inclusive as minhas.

As minhas e as tuas.

Principalmente as tuas...


(Edson Marques)

julho 16, 2008

Vitor Araújo canta saudades do Recife FREVO Nº01



Frevo nº 01



Ai, ai saudade
Saudade tão grande
Saudade que eu sinto
Do clube da Pás,
do Vassouras Passistas traçando tesouras
Das ruas repletas de lá
Batidas de bombos são maracatus retardados
Chegam da cidade cansados
Com seus estandartes no ar
Que adianta se o Recife está longe
E a saudade é tão grande
Que eu até me embaraço
Parece que eu vejo Walfrido Cebola
no passo
Haroldo Mathias, Colaço
Recife está dentro de mim.
Vivo della mia morte e, se ben guardo,
Felice vivo d' infelice sorte;
E chi viver non sa d'angoscia e morte
Nel foco venga, ov'io mi struggo e ardo".
Michelangelo Buonarroti, 1532



julho 12, 2008

Um Conto


VOZ DO VENTO


Uma flor existia, apenas existia, muda e inexpressiva, na beira de um lago próximo a montanha.
Mas ela não sabia que existia, nem sabia quem era.
Existia apenas dentro do eterno silêncio e isto lhe bastava.
Desejava ficar ali, imóvel, fazendo parte apenas dela mesma.
Não havia sentido vontade de dar nome as coisas, nem de experimenta- las.
O importante era se integrar completamente ao nada, porque este nada era toda a realidade que ela percebia.
Queria permanecer anônima dentro do inexistente, fora do tempo e do espaço e fora dela mesma.
Mas esta flor inconsciente dela mesma, foi acordada pela voz do vento.
Nesse dia descobriu que havia alguma coisa a mais existindo fora dela.
Lembrou que já havia recebido aquela visita antes em seu corpo, mas esta era a primeira vez que se sentia tocada realmente por dentro.
E, quando o vento sussurrou nos seus ouvidos, lindas palavras, a flor sentiu-se viva pela primeira vez.
Escutou aquela voz tão doce falando que ela era uma Rosa branca, cuja pureza brilhava como uma estrela solitária na imensidão da noite.
Atônita com aquela revelação, debruçou-se sobre o lago para examinar aquele reflexo luminoso que nadava lá dentro.
E, a partir daquele momento, passou a existir realmente e a saber quem era.
A flor reconheceu a vida que pulsava dentro e fora dela.
Agora podia sentir o brilho do Sol, o frescor da chuva.
E, ouvindo o canto dos pássaros aprendeu a cantar a sua própria canção.
Ansiava agora pela carícia do vento da montanha.
Como uma noiva radiante em seu vestido branco, esperava pelo noivo prometido, na esperança de conseguir ver o seu rosto, e dançar com ele a música do amor eterno.
Mas o vento sábio nunca mais voltou.
Compreendeu que o amor da Rosa, deixava-a vulnerável demais.
Sabia que se aproximando novamente, ela acabaria por desvanecer nos seus braços.
A Rosa branca chorou.
Chorou de saudade.
Chorou por amor.
Chorou com aquela brusca separação.
Triste, sabendo que nunca mais sentiria a presença do vento no seu corpo, a Rosa ainda se encantava com a magnitude do seu amigo querido.
Agradeceu-lhe o valioso presente que havia recebido dele, o presente de ter lhe dado ela mesma.
Secou as lágrimas e ergueu o olhar para o azul do céu, pois sabia que lá, em algum lugar, alguém olhava para ela com ternura.
E, mesmo que jamais o encontrasse de novo, sentia que ele estaria com ela para sempre, pois as suas vozes haviam se misturado dentro dela, agora eram uma única voz brincando pela montanha sagrada.

(autor desconhecido)

julho 02, 2008

Profano, por Leila Silva


Sofia estranhou aquela consistência.
Meteu os dedos na massa e levou-os à boca só para constatar que o gosto também fugia ao comum.
O comum era não ter gosto.
Entretanto seguira à risca os ensinamentos da mãe.
Padre Rafael apareceu na porta no momento em que ela lambia os dedos. De bermudão. Sofia enrubeceu.
'Algo errado?' Perguntou ele se aproximando.
Sem esperar resposta, tomou a mão da moça, enfiou-a de novo na massa, lambeu cada um dos seus dedinhos e sentiu o estremecimento do seu corpo.
Não se preocupe, filha, estas hóstias ainda não estavam consagradas.

Leila Silva

(achei esse conto super interessante e aí decidi publicá-lo aqui, copiei do blog de uma amiga muito especial Nora Borges em seu blog lingua de maripôsa, que por sua vez copiou do blog de outra amiga - Leila silva, em - Cadernos da Belgica).

junho 27, 2008

NÃO QUERO ALGUÉM QUE MORRA DE AMOR POR MIM...



NÃO QUERO ALGUÉM QUE MORRA DE AMOR POR MIM...

SÓ PRECISO DE ALGUÉM QUE VIVA POR MIM,

QUE QUEIRA ESTAR JUNTO DE MIM, ME ABRAÇANDO.

NÃO EXIJO QUE ESSE ALGUÉM ME AME COMO EU O AMO,

QUERO APENAS QUE ME AME, NÃO ME IMPORTANDO COM QUE INTENSIDADE.

NÃO TENHO A PRETENSÃO DE QUE TODAS AS PESSOAS QUE GOSTO,

GOSTEM DE MIM...

NEM QUE EU FAÇA A FALTA QUE ELAS ME FAZEM,

O IMPORTANTE PRA MIM É SABER QUE EU,

EM ALGUM MOMENTO, FUI INSUBSTITUÍVEL...

E QUE ESSE MOMENTO SERÁ INESQUECÍVEL...

SÓ QUERO QUE MEU SENTIMENTO SEJA VALORIZADO.

QUERO SEMPRE PODER TER UM SORRISO ESTAMPANDO EM MEU ROSTO,

MESMO QUANDO A SITUAÇÃO NÃO FOR MUITO ALEGRE...

E QUE ESSE MEU SORRISO CONSIGA TRANSMITIR PAZ PARA OS QUE ESTIVEREM AO MEU REDOR.

QUERIA TER A CERTEZA DE QUE APESAR DE MINHAS RENÚNCIAS E LOUCURAS,
ALGUÉM ME VALORIZA PELO QUE SOU, NÃO PELO QUE TENHO...

QUE ME VEJA COMO UM SER HUMANO COMPLETO,

QUE ABUSA DEMAIS DOS BONS SENTIMENTOS QUE A VIDA LHE PROPORCIONA,

QUE DÊ VALOR AO QUE REALMENTE IMPORTA,

QUE É MEU SENTIMENTO...

NÃO QUERO BRIGAR COM O MUNDO,

MAS SE UM DIA ISSO ACONTECER,

QUERO TER FORÇAS SUFICIENTES PARA MOSTRAR A ELE QUE O AMOR EXISTE...

QUE ELE É SUPERIOR AO ÓDIO E AO RANCOR,

E QUE NÃO EXISTE VITÓRIA SEM HUMILDADE E PAZ.
Mário Quintana

Amor é fogo que arde sem se ver, por Camões


Amor é fogo que arde
sem se ver
É ferida que dói e não se sente
É um contentamento
descontente
É dor que desatina sem doer
É um não querer mais que bem querer
É solitário andar por entre a gente
É nunca contentar-se de contente
É cuidar que se ganha em se perder
Nenhum caminho é longo demais quando um amor nos acompanha...

junho 13, 2008

ESTATUTO DO HOMEM (Ato Institucional Permanente)



A Carlos Heitor Cony


Artigo I - Fica decretado que agora vale a verdade,

agora vale a vida, e de mãos dadas, marcharemos todos pela vida verdadeira.


Artigo II - Fica decretado que todos os dias da semana, inclusive as terças-feiras mais cinzentas, têm direito a converter-se em manhãs de domingo.


Artigo III - Fica decretado que, a partir deste instante, haverá girassóis em todas as janelas, que os girassóis terão direito a abrir-se dentro da sombra; e que as janelas devem permanecer, o dia inteiro, abertas para o verde onde cresce a esperança.


Artigo IV- Fica decretado que o homem não precisará nunca mais duvidar do homem. Que o homem confiará no homem como a palmeira confia no vento, como o vento confia no ar, como o ar confia no campo azul do céu.

Parágrafo único: O homem, confiará no homem como um menino confia em outro menino.


Artigo V - Fica decretado que os homens estão livres do jugo da mentira. Nunca mais será preciso usar a couraça do silêncio nem a armadura de palavras. O homem se sentará à mesa com seu olhar limpo porque a verdade passará a ser servida antes da sobremesa.

Artigo VI - Fica estabelecida, durante dez séculos, a prática sonhada pelo profeta Isaías, e o lobo e o cordeiro pastarão juntos e a comida de ambos terá o mesmo gosto de aurora.


Artigo VII - Por decreto irrevogável fica estabelecido o reinado permanente da justiça e da claridade, e a alegria será uma bandeira generosa para sempre desfraldada na alma do povo.


Artigo VIII - Fica decretado que a maior dor sempre foi e será sempre não poder dar-se amor a quem se ama e saber que é a água que dá à planta o milagre da flor.


Artigo IX - Fica permitido que o pão de cada dia tenha no homem o sinal de seu suor. Mas que sobretudo tenha sempre o quente sabor da ternura.


Artigo X - Fica permitido a qualquer pessoa, qualquer hora da vida, o uso do traje branco.

Artigo XI - Fica decretado, por definição, que o homem é um animal que ama e que por isso é belo, muito mais belo que a estrela da manhã.


Artigo XII - Decreta-se que nada será obrigado nem proibido, tudo será permitido, inclusive brincar com os rinocerontes e caminhar pelas tardes com uma imensa begônia na lapela.


Parágrafo único: Só uma coisa fica proibida: amar sem amor.


Artigo XIII - Fica decretado que o dinheiro não poderá nunca mais comprar o sol das manhãs vindouras. Expulso do grande baú do medo, o dinheiro se transformará em uma espada fraternal para defender o direito de cantar e a festa do dia que chegou.


Artigo Final - Fica proibido o uso da palavra liberdade, a qual será suprimida dos dicionários e do pântano enganoso das bocas. A partir deste instante a liberdade será algo vivo e transparente como um fogo ou um rio, e a sua morada será sempre o coração do homem.

Você é linda, Caetano Velozo


Fonte de mel nuns olhos de gueixa

Kabuki, máscara

Choque entre o azul e o cacho de acácias

Luz das acácias

Você é mãe do sol

A sua coisa é toda tão certa

Beleza esperta

Você me deixa a rua deserta

Quando atravessa

E não olha prá trás
Linda, e sabe viver

Você me faz feliz

Esta canção é só pra dizer e diz

Você é linda

Mais que demais

Você é linda, sim

Onda do mar, do amor que bateu em mim

Você é forte

Letras e músicas

Todas as músicas que ainda hei de ouvir

No Abaeté, areias e estrelas

Não são mais belas

Do que você, mulher das estrelas

Mina de estrelas

Diga o que você quer

Você é linda

E sabe viver

Você me faz feliz

Esta canção é só pra dizer e diz

Você é linda
Mais que demais

Você é linda, simOnda do mar, do amor que bateu em mim

Gosto de ver você no seu ritmo

Dona do carnaval

Gosto de ter

Sentir seu estilo

Ir no seu íntimo

Nunca me faça mal

Linda Mais que demais

Você é linda, sim

Onda do mar, do amor que bateu em mim

Você é linda

E sabe viver

Você me faz feliz

Esta canção é só pra dizer e diz

junho 12, 2008

Quando eu me Amei de Verdade


Quando eu me amei de verdade,
Compreendi que em qualquer circunstância,
Eu estava no lugar no lugar certo e na hora certa
E então pude ficar tranquilo,
Hoje sei que a isso se chama

auto-estima.
Quando eu me amei de verdade,
Pude perceber que a minha angústia e sofrimento
Não passam de um sinal de que estou a contrariar a minha verdade.
Hoje sei que a isso se chama

Autenticidade.
Quando eu me amei de verdade,
Parei de desejar que a vida fosse diferente,
E comecei a ver que tudo contribui para o crescimento.
Hoje sei que a isso se chama

Amadurecimento.
Quando eu me amei de verdade,
Percebi que é ofensivo forçar algo ou alguém a uma situação
Hoje sei que a isso se chama

respeito.
Quando eu me amei de verdade,
Começei a livrar-me de tudo o que me diminuísse.
De início pensei que fosse egoísmo,
Hoje sei que a isso se chama

Amor-próprio.
Quando eu me amei de verdade,
Deixei de fazer grandes planos
Hoje faço o que gosto, quando quero e no meu ritmo.
Hoje sei que a isso se chama

Simplicidade.
Quando eu me amei de verdade,
Desisti de querer ter sempre razão,
E com isso errei menos vezes.
Hoje sei que a isso se chama

Humildade.
Quando eu me amei de verdade,
Desisti de ficar só no passado e de me preocupar tanto com o futuro.
Agora mantenho-me mais no presente,
Hoje sei que a isso se chama

Plenitude.


Charlie Chaplin

junho 04, 2008


"Aceita as surpresas que transformam teus planos, derrubam teus sonhos, dão rumo totalmente diverso ao teu dia e, quem sabe, à tua vida.

Não há acaso.

Dá liberdade ao Pai para que ÊLE mesmo conduza a trama dos teus dias".


Dom Hélder Câmara.

maio 25, 2008


Sou música penetrando-me a consciência do agora,

sou o sol lá fora sobre o canto das águas;

sou meu lado esquerdo, minha parte, meu todo;

sou sangue, desejo, emoção;

sou filho de mim — e profeta que me anuncia;

sou lembranças gostosas povoando este lugar;

sou o próprio fogo que me aquece com imagens que ainda vou ter;

sou a manhã,

sou hoje, maçã, caramelo, açúcar, desejo, ciência, perfume, delito — e canção;

sou azul, coração, noite, madrugada, vinho, cerejas, orvalho e barulho do mar;

sou os primeiros violinos que agora se mostram com todo vigor, o próprio Beethoven que


chega regendo essa orquestra que tenho no peito;

sou Vangelis, que num simples silêncio se vai,

sou agora Narciso, sou Nabuco — e o lindo coro dos escravos hebreus.

(Edson Marques)

maio 15, 2008

Sob o olhar



Subo no telhado tão rápida quanto um gato
alí quieta dá para contar o tempo
costuro meias de seda de cores pálidas
coloco água do café para ferver
arrasto móveis, mexo gavetas
espalho as estrelas guardadas há tanto tempo
(não perderam seu brilho)
reviro a mesa
espanto os males em um canto adormecido que
de tão longe sopra como um lamento
espio em direção as esquinas
espreito idas e vindas, altos e baixos
encontros e desencontros
observo a chuva que cai em gotas cintilantes
escorrendo frias nas vidraças dos arranha-céus
escuto gritos na noite, choro de criança
vida que nasce, vida que transforma
vida que dá sentido a outra vida
vida que se vai...
continuo costurando meias de seda...
penso no mês de fevereiro
penso no mar
trago em mim o sol
o esplendor da alma
a vontade de amar...
subo de novo no telhado
tão depressa quanto um gato vadio
Subo o telhado
para espiar...
(Lu Barros)




maio 11, 2008

Mãe das mães


Sede como MARIA - Mãe de Jesus

- Bem Aventurada


Bem aventurada a mulher que cuida do próprio perfil interior e exterior, porque a harmonia da pessoa faz mais bela a convivência humana.


Bem aventurada a mulher que, ao lado do homem, exercita a própria insubstituível responsabilidade na família, na sociedade, na história e no universo inteiro.


Bem aventurada a mulher chamada a transmitir e a guardar a vida de maneira humilde e grande.

Bem aventurada quando nela e ao redor dela acolhe faz crescer e protege a vida.


Bem aventurada a mulher que põe a inteligência, a sensibilidade e a cultura a serviço dela, onde ela venha a ser diminuída ou deturpada.


Bem aventurada a mulher que se empenha em promover um mundo mais justo e mais humano.


Bem aventurada a mulher que, em seu caminho, encontra Cristo: escuta-O, acolhe-O, segue-O, como tantas mulheres do evangelho, e se deixa iluminar por Ele na opção de vida.


Bem aventurada a mulher que, dia após dia, com pequenos gestos, com palavras e atenções que nascem do coração, traça sendas de esperança para a humanidade.

G.Quablini

maio 06, 2008

Estrela da manhã,por Manoel bandeira


"Nas ondas da praia
Nas ondas do mar
Quero ser feliz
Quero me afogar.
Nas ondas da praia
Quem vem me beijar?
Quero a estrela-d´alva
Rainha do mar.
Quero ser feliz
Nas ondas do mar
Quero esquecer tudo
Quero descansar".


"(Cantiga; Estrela da Manhã)

abril 08, 2008

Exclusividade, por Edson Marques



são de amor, naturalmente,

e feitos por mim quando me espanto

no meu canto encantador.


Certos poemas eu escrevo com os olhos

nos teus olhos, meu amor;

outros, muito longe de você.

A maioria,

com meu coração ainda pendente,

pulsando no peito de um amor

que às vezes encontrei

nos caminhos desta vida,

por acaso e de repente.


Algumas das poesias

eu as te fiz diretamente,

outras foram feitas para amores

diferentes,

mas depois eu as trouxe até aqui

— para você, naturalmente.


Muita coisa bela eu sinto por você

enquanto ainda estou colado

no corpo amante da outra,

suspirando de amor também por ela,

alegremente.

E sei também que muitas coisas

que hoje você diz

já foram ditas para outros

— mas isso não lhes tira

a beleza e a semente.


Sei que essas palavras de amor

se repetem entre nós

com a mesma intensidade,

e muitas das verdades

que dizemos um ao outro

são bem ditas,

simplesmente.
Edson Marques

Multiplicar Amor




Que nossas mãos possam ser portadoras de paz...
De afagos...
De carinho...
Que escorra delas os mais
límpidos sentimentos...
De bálsamos... de alívio...
de força... de luz...
Que possam ser espraiados
na terra árida...
fazendo germinar o amor
entre as pessoas...
Multiplicando
a essência de nós

Fazendo-nos fortes ao meio à tempestade
Deixando-nos ver o sol que nasce...
Que rompe a noite...
Que se faz dia...
Que se faz belo...
Que se faz vida!
Que se chama amor.


abril 06, 2008

Teço em tear de espuma, por Mel


Teço em tear de espuma
Em entrelinhas de bruma
Os pontos cardeais
Escrevo
Ao som do murmurar das ondas
Nas águas remexidas espirais
Nesta Baia Gambôa, fruta proibida
Fruta perdida, caída … tombada,
De pele macerada, ferida.

Escrevo em doiradas areias,
Mãos cheias de letras pequenas…
São, prosas, são rosas … poemas.
São rimas … são compostas,
Compotas de agridoce frutas …
Mordidas, rasgadas … ausentes,
Em bocas dormentes, na angustia
Da ausência de um beijo…

Letras … na angustia sofrida,
De um beijo de uma boca palavra,
Terra árida, deserto de água lisa,
De charrua de lavra…
Terra… gretada, rasgada, estirada,
Em sulcos muros de pranto …

Escrevo e inscrevo nos ventos amenos,
Todos os signos, sons de mim e do mar,
Palavras … palavras apenas…
Sons contidos, de todas as marés,
Mãos postas em oração, num acto de fé…

Inscrevo sombras que imploram
E choram … espelhadas em mim,
A dor e o silêncio, do gesto, do abraço,
E, das palavras … amordaçadas,
Na tua boca … teço estas letras,
Tear de espuma …

Escrevo… louca … este segredo,
No dorso de uma gaivota na
Esperança vã de que ela, que atravessa
Os mares e as tempestades e,
Regressa a esta praia todos os finais de tarde,
Seja o exemplo para quem, tem
Como eu … da vida medo!

março 29, 2008

" Quero sempre poder ter um sorriso estampando em meu rosto,
Mesmo quando a situação não for muito alegre...
E que esse meu sorriso consiga transmitir paz para os que estiverem ao meu redor.
Quero poder fechar meus olhos e imaginar alguém...
E poder ter a absoluta certeza de que esse alguém também pensa em mim
quando fecha os olhos,
que faço falta quando não estou por perto.
Queria ter a certeza de que apesar de minhas renúncias e loucuras,
alguém me valoriza pelo que sou, não pelo que tenho...
Que me veja como um ser humano completo,
que abusa demais dos bons sentimentos que a vida proporciona,
que dê valor ao que realmente importa,
que é meu sentimento.... e não brinque com ele.
"***(Mário Quintana)*

março 26, 2008

Tecendo estrelas de VAN GOGH, Por Bárbara Lia

Tela de Vivent Van Gogh - Noite Estrelada
Estrelas escorriam da tela,
na solidão do museu.
Aparei gotas de céu em minhas mãos.
Enovelei-as.
Possui por um tempo,
Estrelas abrasadas de loucura
e o azul mais azul que pode o azul ser.


Museu de Nova Iorque
em delírio.
Corre-corre. Alarmes. Vigias.
Não revistaram minhas mãos.
Um céu enovelado que me aquece
e apaga – primaveras sem teus beijos,
invernos de angústias.


Teci um manto azul
de estrelas emaranhadas,
um manto enfeitiçado.
Das estrelas da noite do artista.
Tenho mãos de fada.
e tenho tanto amor,
quanto estas estrelas deslumbradas.


Quando chegar aquele que amo.
Com seus olhos
que são para mim, música;
e para outros, mel.
Quando ultrapassar a escura porta
e se quedar no branco leito.
Eu o cobrirei com o céu.

março 07, 2008

Um dia branco



Dai-me um dia branco,

um mar de beladona

Um movimento Inteiro,

unido,

adormecido

Como um só momento.

Eu quero caminhar como quem dorme

Entre países sem nome que flutuam.

Imagens tão mudas

Que ao olhá-las me pareça

Que fechei os olhos.

Um dia em que se possa não saber.


(Sophia de Mello Breyner Andersen)

março 05, 2008

Canção do dia de sempre, por Mário Quintana


Tão bom viver dia a dia...A vida assim, jamais cansa...

Viver tão só de momentos

Como estas nuvens no céu...

E só ganhar, toda a vida,Inexperiência... esperança...

E a rosa louca dos ventos

Presa à copa do chapéu.

Nunca dês um nome a um rio:Sempre é outro rio a passar.

Nada jamais continua,Tudo vai recomeçar!

E sem nenhuma lembrança

Das outras vezes perdidas,

Atiro a rosa do sonho

Nas tuas mãos distraídas...


março 04, 2008

Gosto de gente com a cabeça no lugar,
de conteúdo interno, idealismo nos olhos e dois pés no chão da realidade.
Gosto de gente que ri, chora, se emociona com um simples e-mail,
um telefonema, uma canção suave, um bom filme,
um bom livro, um gesto de carinho, um abraço, um afago.
Gente que ama e curte saudade, gosta de amigos, cultiva flores, ama os animais.
Admira paisagens, poeira e chuva.
Gente que tem tempo para sorrir bondade, semear perdão, repartir ternuras,
compartilhar vivências e dar espaço para as emoções dentro de si,
emoções que fluem naturalmente de dentro de seu ser!
Gente que gosta de fazer as coisas que gosta,
sem fugir de compromissos difíceis e inadiáveis,
por mais desgastantes que sejam.
Gente que colhe, orienta, se entende, aconselha,
busca a verdade e quer sempre aprender,
mesmo que seja de uma criança,
de um pobre, de um analfabeto.
Gente de coração desarmado, em ódio e preconceitos baratos.
Com muito AMOR dentro de si.
Gente que erra e reconhece, cai e se levanta, apanha e assimila os golpes,
tirando lições dos erros e fazendo redentoras suas lágrimas e sofrimentos.
Gosto muito de gente assim como VOCÊ
e desconfio que é deste tipo de gente que DEUS também gosta!


fevereiro 29, 2008

Presença, Mário Quintana


É preciso que a saudade desenhe tuas linhas perfeitas,

teu perfil exato e que, apenas, levemente, o vento

das horas ponha um frêmito em teus cabelos...

É preciso que a tua ausência trescale

sutilmente, no ar, a trevo machucado,

a folhas de alecrim desde há muito guardadas

não se sabe por quem nalgum móvel antigo...

Mas é preciso, também, que seja como abrir uma janela

e respirar-te, azul e luminosa, no ar.

É preciso a saudade para eu sentir

como sinto - em mim - a presença misteriosa da vida...

Mas quando surges és tão outra e múltipla e imprevista

que nunca te pareces com o teu retrato...

E eu tenho de fechar meus olhos para ver-te!

fevereiro 04, 2008

Luis Gonzaga


" Quando eu vim dos sertão,

seu moço do meu Bodocó

a malota era um saco

e o cadeado era um nó

só trazia a coragem e a cara

viajando num pau de arara

eu penei,

mas aqui cheguei... '

Vento forte da África, por Solano Trindade



Tem gente com fome

- Trem sujo da Leopoldina

correndo

correndo

parece dizer

tem gente com fome

tem gente com fome

tem gente com fome

Piiiiii

Estação de Caxias

de novo a dizer

de novo a correr

tem gente com fome

tem gente com fome

tem gente com fome