Seguidores

março 07, 2010

A arte de gostar de uma mulher - dura tarefa?


"...O fotógrafo André Arruda, que trabalhava, entre outras coisas, com moda.,

em determinado momento de uma palestra relatou sua experiência em fotografar nu artístico e soltou a seguinte frase: para fotografar nu feminino é preciso gostar de mulher.
Eu sorri, porque na minha cabeça aquilo parecia meio óbvio, mas antes que qualquer um fizesse algum comentário ele completou: Não se trata de gostar de mulher no sentido sexual, ter tesão por mulher nua, essas coisas. Isso pode ter também.
Mas trata-se de gostar de mulher em um sentido mais profundo.
Gostar do universo feminino.
Observar que cada calcinha é única, tem uma rendinha diferente e ficar entretido com isso - afirmou. O fato é que eu concordo com o conceito do Arruda sobre gostar de mulher.
Não basta ser heterossexual, o machão latino.
Para gostar de verdade de uma mulher são necessários outros requisitos que são raros. Por isso a mulherada anda tão insatisfeita.
Sensibilidade é fundamental.
Paciência também.
O homem que não tem paciência para escutar a necessidade que a mulher tem de falar, ou sensibilidade para cativá-la a cada dia não gosta de mulher.
Pode gostar de sexo com mulher. O que é bem diferente.
Gostar de mulher é algo além, é penetrar em seu universo, se deliciar com o modo com que ela conta todo o seu dia, minuto por minuto, quando chega do trabalho. Ficar admirando seu corpo, ser um verdadeiro devoto do corpo feminino, as curvas, o cabelo, seios. Mas também cultuar a sagacidade feminina, sua intuição, admirar seu sorriso que é muito mais espontâneo que o nosso.
Gostar de mulher é querer fazer a mulher feliz. Levar flores no trabalho sem nenhum motivo a não ser o de ver seu sorriso. É escutar pacientemente todas as queixas da chefa rabugenta, que provavelmente é assim porque seu homem não gosta de mulher.
O homem que gosta de mulher não está preocupado em quantas mulheres ele "comeu"(Desculpem aí...) durante a vida, mas sim com a qualidade do sexo que teve. Quantas mulheres ele realizou sexualmente, fazendo-as se sentirem desejadas, amadas, únicas, deusas, na cama e na vida.
O homem que gosta de mulher não transa com mulher. Ele penetra não só no corpo mas na alma, respirando, sentindo, amando cada pedacinho do corpo, e, é claro, da personalidade.

"Para viver um grande amor é necessário ser de sua dama por inteiro", afirmou Vinícius de Moraes no poema; Para viver um grande amor. Para amar verdadeiramente uma mulher o homem deve ser totalmente fiel, traí- la, jamais.
Amá-la até a raiz dos cabelos.
Admirá-la, e se deixar apaixonar todo dia pelo seu sorriso ao despertar e principalmente conquistá-la, seduzi-la, como se fosse a primeira vez.
O homem que não tem paciência, nem tesão, nem competência para lhe seduzir várias e várias vezes, esse, minha amiga, não se iluda, não gosta nem um pouco de mulher.
Conquistar o corpo e a alma de uma mulher é algo tão gratificante que tem que ser tentado várias vezes. Só que alguns homens, os que não gostam de mulher, querem conquistar várias mulheres.
Os que gostam de mulher é que conquistam várias vezes a mesma mulher. E isso nos gratifica, nos fortalece e nos dá uma nova dimensão.
A dimensão da poesia, do amor e em última instância do impenetrável universo feminino.
Mas atenção amigos que gostam de mulher: gostar de mulher e penetrar em seu universo não é torná-las cativas e si libertá-las, admirá-las em sua insuperável liberdade. Uma das músicas com que mais me identifico é uma em inglês - por incrível que pareça, para um nacionalista e anti-imperialista convicto. É a Have you really loved a woman.. É do cantor Bryan Adams. A música foi tema do filme Don Juan de Marco, e em uma tradução livre quer dizer "você já amou realmente uma mulher?". Em toda a música o cantor fala sobre a necessidade de se conhecer os pensamentos femininos, sonhos, dá-la apoio, para amar realmente uma mulher. Essa música é perfeita.
Como se vê, gostar de transar com mulher é fácil. Agora gostar de mulher é dificílimo.
Precisa ser macho de verdade para isso. "
Luis Fernando Veríssimo

Um comentário:

WANDER.CHEF disse...

Maravilhoso ,seu texto!
Nada mais natural do que sentir desejo, pelo corpo feminino, mas realmente sentir prazer em sua companhia e na convivencia diária, é outra história.
Sou um um homen que já tive vários amores, muitas paixões , mas apenas dua esposas(?????????).
a primeira era fogo, ardendo de paixão e desejo.... falava pouco, se abria menos ainda ...derrepente desapareceu da minha vida como um raio..pelo jeito o sexo não era assim tão importante como eu achava .
a segunda é suave como uma brisa ,. o sexo é na medisa exata, atroca de sentimentos é cotidiana, e a paixão dos primeiros dias... se transformou em amor duradouro e verdadeiro.
Felicidades, paz e sucesso!