Seguidores

maio 14, 2007

MUDE

Sou assim, adepta a mudanças.
Não gosto da mesmice, do igual, do rotineiro.
Creio que transformações são necessárias à medida que tomamos consciência daquilo que precisamos mudar,
acredito que o ser humano renasce a cada amanhecer, nunca seremos o que fomos ontem e também não seremos os mesmos amanhã.
O dia nos ensina e a noite nos assegura o aprendizado, dependendo da intensidade da luz do sol ou da escuridão da noite, assim como lagarto na pele camaleoa, trocamos de cor, num eterno processo de mutação.
Mas, isso só acontece a pessoas que permitem essa transitoriedade sem medo, e, acima de tudo com doses de persistência, mesmo que homeopáticas.
Caminhar implica em tropeços, em pedras no caminho, cabe-nos levantar, remover as pedras e deixar fluir a metamorfose.
Assim leitor se concordar comigo e se você for uma pessoa que não têm medo de ser feliz, MUDE ... .
Ebarros
MUDE, por Edson Marques

Mude, mas comece devagar,
Porque a direção é mais importante que a velocidade.
Sente-se em outra cadeira, no outro lado da mesa.
Mais tarde, mude de mesa.
Quando sair, procure andar pelo outro lado da rua.

Depois, mude de caminho, ande por outras ruas, calmamente, observando com atenção os lugares por onde você passa.
Tome outros ônibus.

Mude por uns tempos o estilo das roupas.
Dê os seus sapatos velhos.
Procure andar descalço alguns dias.
Tire uma tarde inteira para passear livremente na praia, ou no parque, e ouvir o canto dos passarinhos.

Veja o mundo de outras perspectivas.
Abra e feche as gavetase portas com a mão esquerda.
Durma no outro lado da cama... depois, procure dormir em outras camas.
Assista a outros programas de TV, compre outros jornais ...

leia outros livros, viva outros romances.
Não faça do hábito um estilo de vida.

Ame a novidade.
Durma mais tarde.
Durma mais cedo.
Aprenda uma palavra nova por dia numa outra língua.
Corrija a postura.
Coma um pouco menos, escolha comidas diferentes, novos temperos, novas cores, novas delícias. Tente o novo todo dia.
O novo lado, o novo método, o novo sabor, o novo jeito, o novo prazer, o novo amor.
A nova vida.
Tente.

Busque novos amigos.
Tente novos amores.
Faça novas relações.
Almoce em outros locais,vá a outros restaurantes, tome outro tipo de bebida, compre pão em outra padaria.

Almoce mais cedo, jante mais tarde ou vice-versa.
Escolha outro mercado... outra marca de sabonete, outro creme dental... tome banho em novos horários.
Use canetas de outras cores.

Vá passear em outros lugares.
Ame muito, cada vez mais, de modos diferentes.
Troque de bolsa, de carteira, de malas, troque de carro, compre novos óculos, escreva outras poesias.
Jogue os velhos relógios, quebre delicadamente esses horrorosos despertadores.

Abra conta em outro banco.
Vá a outros cinemas, outros cabeleireiros, outros teatros,visite novos museus.
Mude.
Lembre-se de que a vida é uma só.
E pense seriamente em arrumar um outro emprego, uma nova ocupação, um trabalho mais light, mais prazeroso, mais digno, mais humano.
Se você não encontrar razões para ser livre, invente-as.

Seja criativo.
E aproveite para fazer uma viagem despretensiosa, longa, se possível sem destino.

Experimente coisas novas.Troque novamente.
Mude, de novo.
Experimente outra vez.
Você certamente conhecerá coisas melhorese coisas piores do que as já conhecidas, mas não é isso o que importa.

O mais importante é a mudança, o movimento, o dinamismo, a energia. Só o que está morto não muda!
Repito por pura alegria de viver: a salvação é pelo risco, sem o qual a vida não vale a pena!!!!

4 comentários:

atitudes valem mais que palavras disse...

PARABENS AMIGA!!
VOCE SABE COMO ATINGIR E
AGRADAR A TODOS
BEIJOS NO SEU CORACAO

Marina Sabino disse...

esse teu blog ta bombando mãe
o melhor blog da internet toda, pelo menos pra mim :) uauhahua
beijo

Edson Marques disse...

Eluza,

Você publicou meu poema MUDE mas citou como autora uma escritora inexistente: "Cecília Lispector".

O poema (MUDE) que você parece adorar é um texto que escrevi em 1999. Agradeço!

Mude, mas comece devagar porque a direção é mais importante que a velocidade.

Esse poema acaba de também ser publicado em livro pela Editora Original Pandabooks, com prefácio de Antonio Abujamra.

Se puder, veja o vídeo MUDE que é comercial da Fiat
=> http://www.youtube.com/watch?v=NTZ7AGvT44Y


Se você não encontrar razões para ser livre, invente-as.

O original do poema está no blog => http://mude.weblogger.com.br

Abraços, flores, estrelas..

Se puder, corrija o nome do autor!

eluza disse...

Agradeço a Edson Marques o comentário sobre o post "Instante", ao mesmo tempo deixo aqui minha desculpas.
MUDE foi um texto coletado em um site na internet sem restrição ao uso público e nele identificava Clarice Lispector como autora do texto.
Graças a rápida circulação da internet o verdadeiro autor apareceu solicitando a correção, o que já fiz é óbvio. Fica aqui minhas desculpas.
Eluza barros, em 22 de maio de 2007.

Maio 23, 2007