Seguidores

junho 07, 2007

Da tua solidão

Hoje, uma homenagem a um grande amigo e cunhado, álguem com grande sensibilidade intuitiva, coroado com áurea de um anjo de Deus. Deixo postado aqui esse poema de sua autoria como selo de uma grande amizade e afeto.

Da tua solidão...

Hoje o tempo demorou a passar...
tu estavas triste! o motivo exato, não sei.
Condenava o mundo à tua volta; teu olhar...
abatendo teu semblante, - juro! Estranhei...

As horas não marcadas pelos ponteiros
escondiam em uma máscara, teus medos.
Por onde andavas? Sem a paz dos mosteiros
que Deus te deu à sombra dos arvoredos...

Sentidos de dor plena se consolidam,
fazendo o tempo um inimigo ermitão
que no claustro do pensamento acoitam a ação.

Te falo; não ouves meu grito pedinte!
Tu gritas; não ouço teu clamor de solidão!
É dor só, invocamos a lágrimas que resiste fluir.


(em nossos caminhos que rejeitam o tempo conducente)

(por Valter Gomes)





4 comentários:

Marina Sabino disse...

bonito, bonito

valtersemog@hotmail.com disse...

Olá Eluza, obrigado pelas palavras a meu respeito, vou citar aqui meu CD-ME ENCONTREI EM JESUS, na pag.: www.valtergomes.palcomp3.com.br, tem 5 músicas para se ouvir... Um beijão para você sucesso no seu blog

valtersemog@hotmail.com disse...

Olá eluza, estou envianmdo 03 sonetos para sua análise, Certo?
Beijos

Naná disse...

Não conhecia este de Valter é realmente lindo!

Seu espaço é de muito bom gosto mana, estou orgulhosa e qdo crescer quero ficar assim uma Mãe Ua.

Xeirinhos te amo!