Seguidores

junho 26, 2007

Se não for agora, quando?, por Edson Marques


Tem hora
de parar e tem
hora de partir
tem hora
de perma
necer
quieto
e calado
num canto,
e tem hora
de cantar
e de voar.
E agora,
agora não é hora
de dobrar
as asas,
nem de calar a voz,
nem de catar gravetos
para fazer o ninho.
Agora não é hora
de sentir remorsos,
nem de buscar
consolo,
nem de caiar o túmulo.
Agora que estou na beirada,
bêbado de alegria,
pronto para o salto,
não me segure em nome de nada.
Não queira impedir-me dizendo que é muito cedo,
ou que é muito tarde,
ou que está escuro,
é perigoso,
muito alto,
muito fundo,
muito longe... Não!
E se você não puder incentivar-me para o salto,
ou até mesmo empurrar-me com amor em direção à Vida,
não me prenda,
não me amarre.
Não envenene com teu medo a minha dança.
Seja só uma testemunha silenciosa desta vertigem.
Porque agora,
agora é hora de voar,
agora é hora de abrir-me a todas as possibilidades.
E voar um vôo livre e sem destino para dentro de mim mesmo.

Um comentário:

Nana Barros disse...

Tudo lindo!
VOu trazer mamãe no teu blog é um pecado ela não ver, admirar e se orgulhar desta tua sensível alma ...

Bilhões de beijos